Alagoas: eleições estaduais e igreja


Sacerdotes da Igreja Católica que pedirem votos para os candidatos que postulam funções públicas serão punidos. Assim posiciona-se a arquidiocese de Maceió, Alagoas, em relação às eleições para o governo estadual. De acordo com publicação feita pelo arcebispo Dom Antônio Muniz no jornal que é distribuído nas missas aos domingos “O Semeador”, “quem desobedecer, recebe a punição canônica pedido de desculpas ou suspensão das funções”.

Dom Muniz pede que os fiéis não votem nos candidatos que já tenham sido denunciados por algum crime ou que tiveram o registro negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na semana passada, entre os quais estão o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) e o presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, Dudu Holanda (PMN).

Os seis candidatos que concorrem ao governo de Alagoas são Fernando Collor de Mello (PTB), Teotonio Vilela Filho (PSDB), Ronaldo Lessa (PDT), Jeferson Piones (PRTB), Tony Clóvis (PCB), e Mário Agra (PSOL).

Nenhum comentário: