O Papa: Madre Teresa de Calcutá segue sendo “dom inestimável” para a Igreja e o mundo


O Papa Bento XVI agradeceu a Deus pela vida da Beata Madre Teresa de Calcutá, de quem se recorda hoje os cem anos do seu nascimento, e assegurou que a querida religiosa segue sendo um “dom inestimável” para a Igreja e o mundo.

O Pontífice recordou “o modelo exemplar de virtude cristã” da religiosa em uma mensagem dirigida à Madre Mary Prema, superiora geral das Missionárias da Caridade, e difundida pela Rádio Vaticano.

“Madre Teresa exemplificou diante do mundo as palavras de São João: "Caríssimos, se Deus assim nos amou, devemos, nós também, amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais contemplou a Deus. Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu Amor em nós é levado à perfeição" (cf. 1 Jo 4, 11-12)”, escreveu o Papa.

Dirigindo se às religiosas que continuam a obra da Madre Teresa, pediu-lhes “que este amor as inspire como Missionárias da Caridade, a doar-se generosamente a Jesus, que vocês vêem e servem através dos pobres, os doentes, e através das pessoas sós ou abandonadas. Animo-as a aprender constantemente da espiritualidade e do exemplo da Madre Teresa e, seguindo seus rastros, a acolher o convite de Jesus: Vem, seja minha luz!”.

O Santo Padre assinalou que “este ano será para a Igreja e para o mundo, uma ocasião de feliz gratidão a Deus pelo dom inestimável que a Madre Teresa foi e segue sendo através do trabalho que com amor vocês suas filhas espirituais seguem realizando”.

Neste sentido Bento XVI destacou o trabalho das Missionárias da Caridade em preparação para o aniversário.

“Vós vos esforçastes por aproximar-vos da pessoa de Jesus, cuja sede pelas almas vem saciada por vosso ministério a Ele nos mais pobres de todos os pobres. Respondendo com confiança à chamada direta do Senhor”, acrescentou.

Bento XVI se uniu espiritualmente às celebrações pelo centenário “e com grande afeto –concluiu- reparto cordialmente às Missionárias da Caridade, e a todos aqueles a quem elas servem, minha paternal Bênção Apostólica”.

Agnes Gonxha Bojaxhiu nasceu em Skopje (Ex-República Iugoslava da Macedônia, atual território da Albânia), em 26 de agosto de 1910 e faleceu no dia 5 de setembro de 1997 em Calcutá (Índia), cidade na qual em 1959 tinha fundado a congregação das Missionárias da Caridade.

Menos de dois anos depois da sua morte, por causa da estendida fama de santidade da Madre Teresa e dos favores que lhe atribuíam, o Papa João Paulo II permitiu a abertura de sua Causa de Canonização. Em 20 de dezembro de 2002 o mesmo Papa aprovou os decretos sobre o heroísmo das virtudes e sobre o milagre obtido por intercessão de Madre Teresa. João Paulo II a beatificou em 19 de outubro de 2003.

fonte:acidigital.com

Nenhum comentário: