O relato de um milagre

Você acredita em milagres?
Independentemente de sua resposta, vale a pena conferir o testemunho da professora Andréia de Deus, que, ao ir no médico, recebeu duas notícias: a primeira de que estava grávida e a segunda de que estava com um carcinoma ductal infiltrante estágio 3 (câncer de mama), o qual, segundo Dr. Paulo Roberto, médico obstetra: “É um câncer extremamente agressivo e, na gravidez, com o aumento da produção de estrogênio (hormônio feminino) este tipo de câncer aumenta muito”.

Segundo os médicos, Andréia tinha de três semanas a três meses de vida, por isso, as sessões de quimioterapia deveriam começar imediatamente e, diante deste quadro, a orientação médica era fazer o aborto para iniciar o tratamento. Ao sair do consultório médico com essa orientação, Andreia avistou uma movimentada avenida e, ao lado uma igreja, a de Nossa Senhora da Paz, em Ipanema (RJ), e pensou:

“Eu tinha duas possibilidades: ou eu me jogava na frente dos carros… mas aí olhei para o lado e vi a igreja. Entrei correndo, joguei o meu corpo próximo ao altar e fiz uma oração que Deus certamente deve ter entendido. Eu disse: ‘Me desculpe, meu Pai, mas hoje a conversa é de mãe para Mãe’”.

Andréia, então, consagrou a sua gravidez a Nossa Senhora da Paz e decidiu levar em frente a gestação, mesmo lutando contra o câncer. “Seria contraditório no momento em que eu mais precisava de vida, eu tirar vida”, afirma.

E testemunha: “É interessante que eu consagrava a Nossa Senhora a minha filha, eu não falava filho. E eu disse: ‘Se minha filha nascer ela vai se chamar Maria Vitória, para que todos possam ver o que ela foi nas nossas vidas’”.

A professora conta que recebeu sete doses pesadas de quimioterapia: “Fiquei completamente sem cabelo, sem pelos pelo corpo e com uma barriga enorme”. Segundo Dr. Paulo Roberto, obstetra que a acompanhava em seu tratamento: “Ela chegou aqui sem cabelo, muito anêmica, porque foram sete doses de quimioterapia, então eu achava que iria acontecer alguma coisa com o neném”.

Andréia tinha consciência do risco que corria, mesmo assim fez a opção pela vida, decidindo-se por não abortar. “Eu disse ao médico: ’se houver necessidade de escolha [de quem viverá] o senhor deverá escolher quem está chegando, o senhor deverá escolher a vida da minha filha, que ainda tem uma vida pela frente”.

Com sete meses de gravidez essa mulher de fé fez a cesárea e Dr. Paulo, que fez o parto, nos conta:

“Para a felicidade dela, para a minha surpresa e para a minha felicidade também, a criança nasceu bem, superbem, não teve lesão nenhuma, não aconteceu nada com ela”.

Maria Vitória fez jus ao nome. Nasceu saudável, sem nenhum tipo de sequela ou anomalia. “Ela nasceu cabeluda quando a mãe não tinha nenhum fio de cabelo para contar a história. Parece que estava isolada de todo o contexto”. E estava mesmo, essa criança é a prova de que, no ventre materno, o bebê é protegido durante o desenvolvimento.

Confira abaixo o vídeo com o testemunho, na íntegra, de Andréia:


fonte:cançãonova.com

A grandeza da paciência


O que não podemos mudar, devemos aceitar

Os santos diziam que há dois tipos de martírio: o da morte pela espada; e o da morte pela paciência. A paciência é uma forma de martírio que vence todo sofrimento. Não há barreira espiritual que não caia pela força da paciência, a qual é fruto da fé, da humildade e do abandono da vida em Deus.

Foi pela paciência que a Igreja venceu todos os seus inimigos até hoje: o Império Romano, as heresias, as perseguições, o comunismo, o ateísmo, os pecados de seus filhos, entre outros.

Quando os nossos pecados e fraquezas nos assustam e nos desanimam é preciso ter paciência também conosco e aceitar a nossa dura realidade. Quando é difícil caminhar depressa, então, é preciso ter paciência e aceitar caminhar devagar. José e Maria salvaram o Menino Jesus das mãos de Herodes indo passo a passo até o Egito por um longo deserto de 500 km.

A paciência do cristão não é vazia nem significa imobilismo ou resignação mórbida; tampouco perda de tempo. Não. É a certeza de que tudo está nas mãos d’Aquele que tudo pode. "Um espírito paciente vale mais que um espírito orgulhoso. Não cedas prontamente ao espírito de irritação; é no coração dos insensatos que reside a irritação" (Ecle 7,8b-9).

O que não pudermos mudar em nós ou nos outros, deveremos aceitar com paciência, até que Deus disponha as coisas de outro modo. Ninguém perde por esperar!

Maria, nossa Mãe, é a mulher da paciência. Sempre soube esperar o desígnio de Deus se cumprir, sem se afobar, sem gritar, sem reclamar... A paciência é amiga do silêncio e da fé. É a paciência que nos levará para o céu!

"Meu filho, se entrares para o serviço de Deus (...) prepara a tua alma para a provação; humilha teu coração, espera com paciência (...) não te perturbes no tempo da infelicidade, sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência" (Eclo 2,1-3).

"Aceita tudo o que te acontecer; na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência. Pois é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho da humilhação" (idem 4-6).

Muitas vezes, a vontade de Deus permite que as cruzes nos atinjam; curvemos a cabeça com humildade e paciência. Muitos estão prontos para fazer a vontade de Deus no "Tabor da transfiguração", mas poucos no "Calvário da crucificação". Sejamos como Nossa Senhora, que disse o "sim" no momento da Encarnação de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas o manteve na Apresentação d'Ele, na fuga para o Egito, no Pretório, na perseguição ao Senhor, no caminho do Calvário e também aos pés da sua cruz.

Beijar, agradecidos, esta mão invisível que, muitas vezes, permite que sejamos feridos, agrada a Deus e nos atrai as bênçãos do Céu.

Para meditar: Ensinamentos dos Santos Doutores:

Santo Afonso: “Neste vale de lágrimas não pode ter a paz interior senão quem recebe e abraça com amor os sofrimentos, tendo em vista agradar a Deus”. Segundo ele “essa é a condição a que estamos reduzidos em conseqüência da corrupção do pecado”.

São João Crisóstomo: “É melhor sofrer do que fazer milagres, já que aquele que faz milagres se torna devedor de Deus, mas no sofrimento Deus se torna devedor do homem”.

Santo Agostinho: “Quando se ama não se sofre, e se sofre, ama-se o sofrimento”.

“O martírio não depende da pena, mas da causa ou fim pelo qual se morre. Podemos ter a glória do martírio, sem derramar o nosso sangue, com a simples aceitação heróica da vontade de Deus”.

São Francisco de Sales: “As cruzes que encontramos pelas ruas são excelentes, e que mais o são ainda – e tanto mais quanto mais importunas – as que se nos deparam em casa”.

Santa Teresa D’Ávila ensina: “Nada te perturbe; nada te espante. Tudo passa. Só Deus não muda; a paciência tudo alcança. Quem a Deus tem nada lhe falta: Só Deus Basta!”.

Prof:Felipe Aquino

Dia dos Santos Arcanjos


Neste dia 29 de setembro a Igreja comemora o dia dos Santos Arcanjos: São Miguel, São Gabriel e São Rafael, e lembra ao mesmo tempo todos os coros angélicos. No Apocalipse São Miguel e seus anjos são mostrados como defensores do povo de Deus.

"Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram." (Ap 12, 7).

O Catecismo da Igreja diz que: "Ainda aqui na terra, a vida cristã participa, na fé da sociedade bem-aventurada dos anjos e dos homens, unidos em Deus" (§ 336). Mas quem são os Anjos? A palavra anjo, do latim "ângelus", quer dizer mensageiro.Os anjos são servidores e mensageiros de Deus, como diz o salmista: "poderosos executores da sua palavra, obedientes ao som da sua palavra" (Sl 103,20).

Os anjos são criaturas puramente espirituais, dotadas de inteligência e de vontade; são criaturas pessoais e imortais. "Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos e são filhos de Deus, porque são ressuscitados." (Lc 20,36). Eles superam em perfeição todas as criaturas visíveis, como dá testemunho o fulgor de sua glória: "Seu corpo era como o crisólito; seu rosto brilhava como o relâmpago, seus olhos, como tochas ardentes, seus braços e pés tinham o aspecto do bronze polido e sua voz ressoava como o rumor de uma multidão" (Dan 10,6).

Os anjos estão presentes na história da humanidade desde a criação do mundo (cf. Jó 38,7); são eles que fecham o paraíso terrestre (Gn 3, 24); protegem Lot (Gen 19); salvam Agar e seu filho (Gen 21,17); seguram a mão de Abraão para não imolar Isaac (Gen 22,11); a Lei é comunicada a Moisés e ao povo por ministério deles (At 7,53); são eles que conduzem o povo de Deus (Ex 23, 20-23); eles anunciam nascimentos célebres (Jz 13); indicam vocações importantes (Jz 6, 11-24; Is 6,6); são eles que assistem aos profetas (1 Rs 19,5). Foi um anjo que anunciou a Gedeão que devia salvar o seu povo; um anjo anunciou o nascimento de Sansão (Jz 13); o anjo Gabriel instruiu a Daniel (8,16), ainda que aqui não seja chamado de anjo, mas "o homem Gabriel" (9,21). Este mesmo espírito celestial anunciou o nascimento de São João Batista e a encarnação de Jesus; os anjos anunciaram a mensagem aos pastores (Lc 2,9), e a missão mais gloriosa de todas, a de fortalecer o Rei dos Anjos em sua Agonia no Horto das Oliveiras (Lc 22, 43).

Nos Evangelhos eles aparecem na infância de Jesus, nas tentações do deserto, na consolação do Getsêmani; são testemunhas da Ressurreição do Senhor, assistem a Igreja que nasce e os Apóstolos, enfim... prepararão o Juízo Final e separarão os bons dos maus.

Toda a vida de Jesus foi cercada da adoração e do serviço dos Anjos. Desde a Encarnação até a Ascensão eles o acompanharam. A Sagrada Escritura diz que quando Deus "introduziu o Primogênito no mundo, diz: "Adorem-no todos os Anjos de Deus" (Hb 1, 6). Alguns teólogos acham que isto motivou a queda dos anjos maus, por não aceitarem adorar a Deus Encarnado na forma humana.

No Apocalipse os Anjos aparecem como ministros da liturgia celeste, oferecendo a Deus a oração dos justos, e talvez seja esta a sua mais bela missão.

"Na minha visão ouvi também ao redor do trono, dos animais e dos anciãos, a voz de muitos anjos, e número de miríades de miríades e de milhares de milhares bradando em alta voz: "Digno é o Cordeiro imolado de receber o poder, a riqueza, a sabedoria, a força, a glória, a honra e o louvor" (Ap 5, 11).

"Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram lhes dadas sete trombetas. Adiantou-se outro anjo, e pôs-se junto ao altar, com um turíbulo de ouro na mão. Foram-lhe dados muitos perfumes, para que os oferecesse com as orações de todos os santos no altar de ouro, que está diante do trono. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus". (Ap 8,2-5).

Em toda a Bíblia encontramos muitas vezes que cada alma tem seu anjo guardião. Abraão, ao enviar seu servo para buscar uma esposa para Isaac, lhe diz:

"Ele enviará seu anjo diante de ti" (Gen 24, 7).


As palavras do Salmo 90, que o demônio citou para Jesus na tentação do deserto (Mt 4, 6) são bem conhecidas, e Judite relata seu êxito heróico dizendo: "Viva o Senhor, cujo anjo foi o meu guardião" (Jd 13, 20).

Estas passagens e muitas outras parecidas (Gen, 16, 6-32; Os, 12, 4; 1Re 19, 5; At 12, 7; Sl 33, 8), são reforçadas com as palavras do Senhor: "Guardai de menosprezar a um desses pequeninos, porque lhes digo que seus anjos, no céu, vêm continuamente o rosto de meu Pai que está nos céus" (Mt 18,10).

A Bíblia não só representa os anjos como nossos guardiães, mas também como nossos intercessores. O anjo Rafael diz:

"Ofereci orações ao Senhor por ti" (Tob 12, 12).

"A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus." (Ap 8,4).

29 de Setembro: Santos Arcanjos:


Fonte: Editora Cléofas - Professor Felipe Aquino

Gravidez no namoro


O relacionamento vai exigir do casal o desprendimento para o novo

A vivência da intimidade sexual passou a ser normal para muitos casais de namorados. Talvez, por não entenderem a transcendência do ato sexual, muitas vezes, o sexo é nivelado por baixo. Uma vez minimizado na sua grandeza, erroneamente, este é também colocado como meio de sustentação do namoro. Para a maioria dos jovens casais, tal intimidade é justificada como sendo também uma fase do conhecimento daquele (a) a quem dizem amar.

A experiência sexual nesse período ganha força quando o casal percebe que essa é uma prática comum também no relacionamento dos colegas. Na roda de amigos, muitos pensam que seria bobeira não aproveitar a situação, sendo que o (a) namorado (a) deseja o mesmo. Julgando-se conhecedores de todas as coisas e muito seguros de si, acreditam que a possibilidade de uma gravidez só acontece para quem não souber evitá-la; até o momento em que a namorada traz a notícia de que está grávida. (Dessa vez, a tônica das conversas na roda de amigos será o “vacilo que fulano deu”!)

É sabido que algumas jovens têm más experiências ao comunicarem ao namorado a “consequência” ocorrida pela referida intimidade. Nesse momento, alguns simplesmente desaparecem ou as culpam, como se elas fossem as únicas responsáveis pela gravidez. Os namorados se esquecem de que a responsabilidade que hoje está sobre elas é também resultado do compromisso que, indiretamente, assumiram ao desejar viver a intimidade no namoro. As jovens mães percebem, então, a duras penas, que fizeram uma má escolha, reconhecendo que aqueles que, antes, lhes fizeram tantas promessas, foram apenas capazes de engravidá-las. Mesmo sem querer, agora, o casal de namorados se torna pais.

Para outros casais, ainda que a notícia da gravidez venha a abalar o dia, eles sabem que não poderão ocultar a situação por muito tempo. Em breve começarão a acontecer as mudanças no corpo da mulher. Então, a ela caberá a responsabilidade de enfrentar os pais e tentar justificar o óbvio; enquanto que a ele caberá a iniciativa de preparar condições de promover o conforto básico, tanto emocional como de bem-estar, que toda mulher grávida necessita.

Se uma gravidez para uma pessoa casada já causa grandes mudanças e exige muitas adaptações, imaginemos para aqueles que ainda estão no começo da realização de seus sonhos e planos... Para estes, a situação se torna ainda mais exigente, pois, vivendo o novo papel, surgem – nas vidas dos então namorados – as dificuldades pertinentes ao convívio contínuo. O relacionamento vai exigir do casal o compromisso e o desprendimento de se moldar ao inusitado apresentado pela situação. Tudo será vivido de maneira intensa, em meio às preocupações, aos choros do bebê, às dificuldades para continuar os estudos, à busca de trabalho, à aceitação dos familiares, entre outros.

O tempo propiciado ao casal, durante o namoro, para avaliar o perfil do pretendente e se conhecer mutuamente é abreviado com a gestação da namorada. Com tantos desafios, os namorados perceberão que pouco conheciam o temperamento do outro e, muitas vezes, se veem despreparados para assumir as consequências do ato que os levaria para muito mais além do prazer experimentado.

Para não viver os mesmos atropelos de outros namorados que tiveram de provar das responsabilidades paternas antecipadamente, melhor será para os jovens casais aplicarem-se no crescimento, nas adaptações e no amadurecimento do namoro. Dessa maneira, quando se decidirem pelo casamento, nenhum dos dois poderá alegar que não conheceu suficientemente a pessoa escolhida para compartilhar com ele (a) a vocação do matrimônio.

A prova de amor se confirma no compromisso mútuo de fazer o outro feliz por aquilo que ele é e não por aquilo que ele faz.

fonte:paideamor.com

PT assume legalização do aborto e o seu reconhecimento como direito no Brasil, denunciam Bispos do Regional Sul 1


O Presidente da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e bispo diocesano de Assis (SP), Dom José Benedito Simão,divulgou uma séria denúncia sobre o envolvimento do PT com a promoção do aborto no Brasil. “Estamos alertando nosso povo para uma situação totalmente inédita e sem precedentes: é a primeira vez na história do Brasil que um partido político assume como compromisso de governo a legalização de um crime e o seu reconhecimento como direito”, afirmou o prelado. Os bispos deste regional assumem assim o dever de denunciar “este gravíssimo desvio pelo qual se pretende introduzir a cultura da morte em nosso país".

"Em 2005 nosso atual governo, sem nenhuma consulta prévia ao povo brasileiro, reconheceu junto à ONU o aborto como um direito humano. Logo em seguida, no mesmo ano, o atual governo enviou ao congresso nacional um projeto de lei que tornaria o aborto totalmente livre, desde a concepção até o momento do parto. Deixem-me repetir, pois é disto mesmo que se trata: o aborto deixaria de ser um delito em qualquer circunstância, tornando-se totalmente livre, durante todos os nove meses de gravidez”, enfatizou Dom Simão.

Seguidamente o Bispo afirma que “tal como havia sido previamente acordado junto à ONU, o projeto reconhecia, em seu primeiro artigo, o aborto como um direito e, em seu último artigo, revogava todos os dispositivos do Código Penal que tipificavam o aborto como crime, tornando-o, por isso mesmo, completamente livre, por qualquer motivo, em todos os estágios da gravidez, o que foi reconhecido, publicamente, pelos mais eminentes juristas, durante as audiências realizadas para debater o assunto dentro da Câmara. A oposição ao projeto cresceu a tal ponto, dentro do próprio congresso, que o partido dos trabalhadores assumiu, em seu Terceiro Congresso Nacional, a completa legalização do aborto como programa de governo e o impôs como obrigatório a todos os seus membros”.

Dom Simão denunciou também que “como conseqüência desta resolução, os deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, ambos do PT, foram processados, julgados e condenados pelo partido dos trabalhadores, acusados de terem cometido infrações graves à ética partidária, por haverem militado contra a legalização do aborto, segundo ficou declarado no texto da sentença. Ambos os deputados haviam coordenado a oposição ao projeto do governo pelo qual o aborto se tornaria completamente livre durante toda a gestação e haviam pedido a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar quem estaria financiando a promoção do aborto no Brasil".

“Estamos alertando nosso povo para uma situação totalmente inédita e sem precedentes: é a primeira vez na história do Brasil que um partido político assume como compromisso de governo a legalização de um crime e o seu reconhecimento como direito, que torna este compromisso obrigatório para todos os seus membros e que pune os que exercem o direito à objeção de consciência como culpados de infrações graves contra a ética partidária, ao mesmo tempo em que nega insistentemente, diante do público, que tenha feito, ou que pretenda fazer, qualquer uma destas coisas”, conclui a denúncia do Presidente da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1.

fonte:acidigital.com

Caminhada Sim à Vida leva milhares de fiéis à Avenida Boa Viagem


Milhares de pessoas foram até a Avenida Boa Viagem, Zona Sul do Recife, na manhã deste domingo, para protestar contra o aborto, a violência e as drogas. Cinco trios elétricos animavam os fiéis católicos das 103 paróquias do Estado enquanto eles andavam pela via segurando cartazes. O evento foi promovido pela Arquidiocese de Olinda e Recife e teve a presença do arcebispo, Dom Fernando Saburido, que andava pela rua, no meio dos fiéis.

O evento, denominado Caminhada Arquidiocesana Sim à Vida, acontece pelo quarto ano consecutivo. e serve de preparação para a Semana da Vida, que começa na sexta-feira e vai até o dia 7 de outubro. A celebração é promovida pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para agradecer e lembrar o valor do dom que receberam de Deus.

“Esse é um momento dos católicos para celebrar o homem e o meio ambiente e também pedir mudanças para as ações que ferem o direito à vida", afirma Saburido. Durante toda a caminhada, desde o edifício Castelinho até o 2º Jardim, um percurso de aproximadamente três quilômetros, os fiéis cantavam e dançavam músicas de louvor.

A confissão e seus efeitos


Toda a força da penitência reside no fato de ela nos reconstituir na graça de Deus e de nos unir a Ele com a máxima amizade. Portanto, a finalidade e o efeito deste sacramento são a reconciliação com o Senhor. Os que recebem o sacramento da penitência, com coração contrito e disposição religiosa, “podem usufruir da paz e tranquilidade da consciência, que vem acompanhada de uma intensa consolação espiritual. Com efeito, o sacramento da reconciliação com Deus traz consigo uma verdadeira “ressurreição espiritual, uma reconstituição da dignidade e dos bens da vida dos filhos de Deus, entre os quais o mais precioso é a amizade de Deus.

A fórmula da absolvição em uso na Igreja latina exprime os elementos essenciais deste sacramento: o Pai das misericórdias é a fonte de todo perdão. Ele opera a reconciliação dos pecadores pela páscoa de seu filho e pelo Dom do Espirito, através da oração e ministério da Igreja.

“Deus, Pai de misericórdia, que, pela Morte e Ressurreição de seu Filho, reconciliou o mundo consigo e enviou o Espírito Santo para a remissão dos pecados, te conceda, pelo Ministério da Igreja, o perdão e a paz. E eu te absolvo dos teus pecados, em nome do Pai e do Filho e do Espirito Santo” (Ritual Romano, Rito da Penitência).

Pelas indulgências, os fiéis podem obter para si mesmos e também para as almas do purgatório a remissão das penas temporais, consequências dos pecados. Este sacramento nos reconcilia com a Igreja. O pecado rompe ou quebra a comunhão fraterna. O sacramento da penitência a repara ou restaura. Neste sentido, ele não cura apenas aquele que é restabelecido na comunhão eclesial, mas também há um efeito vivificante sobre a vida da Igreja, que sofreu com o pecado de um de seus membros.

Não devemos esquecer que a reconciliação com Deus tem como consequencia, por assim dizer, outras reconciliações capazes de remediar outras rupturas ocasionadas pelo pecado: o penitente perdoado reconcilia-se consigo mesmo no íntimo mais profundo de seu ser, quando recupera a própria verdade interior; reconcilia-se com os irmãos que, de alguma maneira, ofendeu e feriu; reconcilia-se com a Igreja; e reconcilia-se com toda a criação.

Neste sacramento, o pecador, entregando-se ao julgamento misericordioso do Todo-poderoso, antecipa, de certa maneira, o julgamento a que será sujeito no fim da vida terrestre. Pois é agora, nesta vida, que nos é oferecida a escolha entre a vida e a morte, e só pelo caminho da conversão poderemos entrar no Reino do qual somos excluídos pelo pecado grave. Convertendo-se a Cristo pela penitêcia e pela fé, o pecador passa da morte para a vida “sem ser julgado” (cf. Jo 5,24).



Prof:Felipe Aquino

27 de Setembro: São Vicente de Paulo


"Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e espírito e amarás ao teu próximo como a ti mesmo" (Mat 22,37.39).

Se não foi o lema da vida deste santo, viveu como se fosse. O santo de hoje, São Vicente de Paulo, nasceu na Aquitânia (França) em 1581. No seu tempo a França era uma potência, porém convivia com as crianças abandonadas, prostitutas, pobreza e ruínas causadas pelas revoluções e guerras.

Grande sacerdote, gerado numa família pobre e religiosa, ele não ficou de braços cruzados mas se deixou mover pelo espírito de amor. Como padre, trabalhou numa paróquia onde conviveu com as misérias materiais e morais; esta experiência lhe abriu para as obras da fé. Numa viagem foi preso e, com grande humildade, viveu na escravidão até converter seu patrão e conseguiu depois de dois anos sua liberdade.

A partir disso, São Vicente de Paulo iniciou a reforma do clero, obras assistenciais, luta contra o jansenismo que esfriava a fé do povo e estragava com seu rigorismo irracional. Fundou também a "Congregação da Missão" (lazaristas) e unido a Santa Luísa de Marillac, edificou as "Filhas da Caridade" (irmãs vicentinas).

Sabia muito bem tirar dos ricos para dar aos pobres, sem usar as forças dos braços, mas a força do coração. Morreu quase octogenário, a 27 de setembro de 1660.

São Vicente de Paulo, rogai por nós!

Arquidiocese de Olinda e Recife realiza caminhada em prol da vida


A Arquidiocese de Olinda e Recife, através da Comissão Pastoral para a Vida e a Família, em sintonia com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), promove a “4ª Caminhada Arquidiocesana “Sim à Vida”. O evento será no dia 26 de setembro, na Orla de Boa Viagem, e reunirá milhares de fiéis católicos e de outras denominações cristãs. Além de contar com o apoio dos cantores pernambucanos Nando Cordel, Silvério Pessoa e Israel Filho.

A iniciativa tem como objetivo sensibilizar a população católica e a sociedade civil, em geral, para a necessidade de lutar contra a legalização do aborto no Brasil, chamando atenção para a causa em defesa da vida. “A Igreja busca proteger a vida desde a sua concepção até a morte natural. Somos contrários a qualquer tipo de proposta que justifique o aborto, assim como, a eutanásia. Trata-se, portanto, de dom de Deus e somente Ele pode dar ou tirar”, afirma o arcebispo de Olinda e Recife, dom Antônio Fernando Saburido.

A caminhada faz parte da “Semana da Vida”, realizada de 01 a 07 de outubro, período em que serão feitas, em todo o país, ações que ajudem a valorizar a vida humana em todas as suas etapas. Além de abordar a defesa da vida em todas as suas fases, o evento tratará de temas como a preservação do meio ambiente, o combate às drogas e à violência. “A vida humana tem sofrido, nos últimos tempos, com o crescimento da violência que mata, sem piedade, especialmente adolescentes e jovens em consequência do desenfreado consumo e tráfico de drogas. Também a desigualdade social que dificulta o acesso ao trabalho, à escola, à moradia, à alimentação, e, sobretudo, à cidadania, gera violência e morte”, disse dom Fernando Saburido.

O arcebispo destaca também a preocupação com a natureza e a vida do planeta. “Preocupa-nos, ainda, a preservação do meio ambiente. A natureza sofre todo tipo de devastação e desrespeito. Em conseqüência, presenciamos as mudanças climáticas e a reação da própria natureza com grandes tempestades e enchentes, aumento da temperatura e maremotos.”

O presidente da Comissão Arquidiocesena de Pastoral para a Vida e a Família, padre Adriano Chagas, considera urgente a mobilização das pessoas diante do quadro de violência que atinge o país. “Faz-se extremamente necessário nosso posicionamento cristão humanizador frente a tudo o que se apresenta como cultura de morte em nossos dias. Nós, enquanto seguidores e imitadores do próprio Filho de Deus, não podemos cruzar os braços diante das desestruturação das bases familiares e dos valores cristãos de defesa e preservação da vida humana”, observa.

A caminhada contará com cinco trios elétricos e a animação dos cantores frei Damião Silva e banda Guerreiros na Fé, Chiquinho de Jesus e Banda, Tribos de Jacó (Comunidade Shalom), Coração Novo (Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Paratibe - Paulista) e Banda Luz (Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Boa Viagem).

Homenagem aos 350 anos de morte de SãoVicente de Paulo em João Pessoa/PB


No domingo, 26, serão lembrados em João Pessoa os 350 anos da morte de São Vicente de Paulo e de Santa Luísa de Marillac (venerados por suas obras de caridade na França).

Na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves, às 9h, será realizada uma Missa , celebrada pelo Pároco, Pe. Rui Braga, e concelebrada pelo Pe. Júlio Masson, com a apresentação de uma Relíquia de São Vicente de Paulo. Relíquias são partes de corpos dos santos ou objetos que tenham pertencido a eles ou estado em contato com eles. Nesse caso, a Relíquia apresentada na Catedral será um fragmento ósseo.

Em seguida ocorrerá uma Procissão até a Capela de São Vicente, no bairro do Roger, com entronização da Relíquia e Assembleia da Família Vicentina. Entronização significa colocar em altar ou em lugar nobre um determinado objeto. Nesse caso, a Relíquia de São Vicente de Paulo ficará definitivamente na Capela dedicada ao Santo no bairro do Roger.

São Vicente de Paulo foi um pai dos Pobres e um reformador do clero, conhecido por sua humildade, caridade e por sempre buscar o bem da Igreja. Foi declarado patrono de todas as obras de caridade da Igreja por Leão XIII, em 1885.

Santa Luiza de Marillac, co-fundadora, com São Vicente de Paulo, das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, foi proclamada patrona das Obras Sociais em 1960 pelo bem-aventurado João XXIII. Ela continua inspirando muitos homens e mulheres, dentre os quais 21.000 Filhas da Caridade, freqüentemente chamadas Irmãs de São Vicente de Paulo, que servem no mundo inteiro, e seus numerosos colaboradores.

A Verdadeira Riqueza da Igreja

A Igreja é rica desde a sua origem, porque o seu Criador é o próprio Deus; é Dele que vem toda a sua riqueza. Ela é o próprio Corpo de Cristo (1Cor 12,27). Ela é rica também, porque é a “Igreja dos Santos”, como disse George Bernanos. Os Santos são a sua grande riqueza, como que reprodução do próprio Cristo.

Ela é a Igreja de Pedro de Cafarnaum, que deixou as redes para seguir o Senhor e morreu de cabeça para baixo, sob Nero, por amor a ela; é a Igreja de Paulo de Tarso, que rodou o mundo até Roma, para ali ser martirizado por ela.

Ela é a Igreja dos Santos Apóstolos, revestidos do próprio Cristo, um a um martirizados pela sua fidelidade ao Senhor… Ela é a Igreja dos Santos Inocentes que, ainda na tenra idade, derramaram o seu sangue inocente pelo menino Deus… Ela é a rica Igreja dos Santos Padres: Agostinho de Hipona, que enfrentou o pelagianismo, o arianismo e o maniqueísmo; Atanásio, que enfrentou o arianismo; Irineu, que enfrentou o gnosticismo; Inácio de Antioquia, que enfrentou os leões; Policarpo de Esmirna, que enfrentou a fogueira,…Tomás de Aquino, que escreveu a Suma-Teológica e transformou a Filosofia; Teresa D’Avila e João da Cruz, que reformaram os Carmelos masculino e feminino; Jerônimo, que traduziu a Bíblia para o latim; Basílio, Gregório de Nissa, Gregório de Nazianzo, Afonso de Ligório, Francisco de Assis, João Bosco, e tantos outros que mudaram a face da terra…

Sim, é uma Igreja riquíssima! Ela é a Igreja daqueles que, de tanto amor por ela, derramaram o seu sangue nas arenas romanas, nas espadas dos imperadores, nos cárceres comunistas e nazistas… Pedro, Paulo, Tiago,… Inácio de Antioquia, Policarpo, Sebastião, Perpétua, Felicidade, Cecília,… Maximiliano Kolbe,… e tantos outros gigantes que fizeram do seu sangue “a semente de novos cristãos” (Tertuliano, †220).

Ela é a Igreja das belas ordens religiosas de Bento, Domingos, Agostinho, Benedito, Francisco, Inácio de Loyola, Camilo de Lélis, D.Bosco …

Ela é a Igreja das Santas Virgens: Maria, Ana, Inez, Cecília, Luzia, Teresinha, Mazzarello, Clara de Assis,… que formam um verdadeiro exército de Esposas do Senhor.

Sim, é uma Igreja riquíssima !

Além de ser a rica Igreja dos Santos, dos Profetas, dos Mártires, dos Apóstolos, das Virgens, dos Confessores… é também a Igreja dos Papas. É a Igreja de João Paulo I com o seu sorriso inesquecível; de João XXIII, do Concílio Vaticano II, de Paulo VI com o seu apaixonado amor à Igreja; de Gregório, que a posteridade chamou de Magno, e que criou o canto que recebeu o seu nome.

Ela é a grande e rica Igreja de Leão Magno, detendo as grandes heresias às portas da Igreja, enfrentando os bárbaros Átila e Genserico às portas de Roma. É a Casa de Pedro, que é o princípio de tudo e a Pedra sobre a qual os outros se sucederam. É a Igreja dessa cadeia viva e ininterrupta de 265 Pontífices, o “doce Cristo na Terra”, como dizia S. Catarina de Sena.

Todos os Santos se inclinaram diante do Papa, e nenhum foi nada sem ele. Paulo, o apóstolo dos gentios, foi ao encontro de Pedro; Francisco, o enamorado da Pobreza, ajoelhou-se diante de Inocêncio III; Teresinha suplicou a Leão XIII que a deixasse entrar no Carmelo aos quinze anos …

Que outra Igreja teve um Pio IX que proclamou Maria Imaculada; e José, Padroeiro Universal da Igreja? Que outra Igreja tem um João Paulo II, filho de operário, operário, ator de teatro, esquiador, sacerdote, poliglota, bispo, diplomata, cardeal - Cardeal da Igreja do Silêncio e da Polônia Mártir?

A Igreja é riquíssima, de fato, pois é a Igreja dos Santos e dos Papas.

É a Igreja dos Sacramentos que o Senhor derramou do seu Coração ferido pela lança no alto da Cruz. É a Igreja da salvação universal de todos os homens… É a barca de Pedro que salva do dilúvio do pecado!

Esta é a verdadeira fortuna da Igreja, acumulada no sangue dos Mártires, na fidelidade dos Confessores, na riqueza dos Padres, no discernimento dos Doutores, na pureza das Virgens, no sangue dos Inocentes, na palavra dos Apóstolos e Profetas, no zelo dos Patriarcas, na lei dos Profetas e na infalibilidade dos Papas. Sim, é riquíssima!…

DO LIVRO: PORQUE SOU CATÓLICO

Prof:Felipe Aquino

Um sacerdote para 7.600 pessoas na América Latina, um para cada 2.700 em nível mundial


Na América Latina, um sacerdote deve atender uma média de 7.633 pessoas frente à média mundial que não supera as 3.000 por sacerdote –exatamente, 2.766 fiéis–, conforme indicou esta segunda-feira o diretor da revista Palavra, Alfonso Riobó, durante o ato de apresentação do especial da publicação sobre a Igreja na América, com motivo do bicentenário da independência, organizado pela revista Palavra junto ao Centro Acadêmico Romano Fundação.

Em qualquer caso, apesar deste inferior número de sacerdotes como habitantes, na América proliferam os seminários jovens, conforme afirmou o diácono da diocese de Huancavelica (no Peru), Yosep Guzmán, que assegurou que, embora em sua paróquia "fria e longínqua (quanto à temperatura e localização)" conformem-se com um sacerdote para cada 12.000, ou inclusive, às vezes, para cada 20.000 habitantes, o incremento das vocações se reflete nos novos seminários criados em diocese jovens.

Assim, explicou que se ainda não existirem suficientes seminários, é devido à "escassez de meios", sobre tudo dos materiais. "Escasseiam os meios sobre tudo materiais porque vontade não nos falta. É difícil porque se carece de bons centros de estudos", especificou.

Neste sentido, o presidente do Centro Acadêmico Romano Fundação, Alejandro Cantero, assinalou que é no terceiro mundo onde há mais vocações. "Não há vocações no primeiro mundo, mas muitas no terceiro mundo e há muitas pessoas generosas que decidem viver para Cristo no sacerdócio", indicou, ao tempo que remarcou que "necessita-se mais sacerdotes" pois, na sua opinião, seu trabalho evangelizador tem "um efeito multiplicador".

Por sua parte, o Bispo Auxiliar de Caracas (Venezuela), Dom Fernando José Castro, reconheceu a contribuição dos peritos ao especial da revista Palavra e se centrou nos "desafios" que enfrenta a Igreja na atualidade. Assim, assinalou que, em um mundo "indiferente, ateu, egoísta e materializado, no qual os filhos passam horas em Internet e em chats", o anúncio da Igreja deve dar-se na família, o colégio, a paróquia e as comunidades religiosas.

Em todo caso, Dom Castro sublinhou que o trabalho que resulta "imprescindível" é o do sacerdote. "Resulta insubstituível o sacerdote, uma paróquia sem ele é uma verdadeira tragédia, prescindir de seu trabalho iria contra a missão da Igreja", acrescentou.
Ter família numerosa é "mais cristão"

Nesta linha, o diretor da revista Palavra remarcou outro obstáculo no caminho evangelizador: as seitas que, conforme explicou, são perigosas sobre tudo para aqueles que foram batizados mas "não suficientemente evangelizados", com uma conseguinte "fácil, confusa e vacilante" fé.

Igualmente, Dom Castro recordou que a Igreja deve também confrontar as desigualdades existentes no mundo onde 958 milhões de pessoas passam fome, conforme indicou citando dados da FAO. "É clamorosa a brecha entre países e entre continentes", lamentou, ao mesmo tempo em que insistiu a fazer um uso "racional e conveniente" dos bens assim como a ter uma família numerosa em vez de ter uma vida melhor em qualidade material, pois é isto é "mais cristão".

Por último, todos os assistentes ao ato coincidiram em que "o bem que faz a revista Palavra nas dioceses da América". Assim, o diácono de Huancavelica destacou que ali, às vezes, é "o único meio" que têm os sacerdotes para informar-se da situação da Igreja. "Palavra é um meio útil para conhecer a Deus tanto para os sacerdotes como para todo mundo", concluíram.

fonte:acidigital.com

Quando uma porta se fecha, outra se abre!

Quando uma porta se fecha, outra se abre.
Tenha paciência, persistência,
constância.

Chega um momento,
ao longo da jornada espiritual,
em que algo que estimamos deve acabar.
Talvez uma relação significativa
tenha terminado.

Talvez uma oportunidade
que procuramos obter
se torne de repente inalcançável.
Sejam quais forem as circunstâncias,
sentimo-nos privados de um bem a que aspiramos.

Quando isso acontecer, não se desespere,
pois o Infinito não se esqueceu de você.
Você está sofrendo privação por uma única razão
para que possa receber um bem ainda maior.

A natureza domina o vácuo.
Esse princípio do mundo físico
tem seu paralelo no mundo espiritual.
Não se pode renunciar a alguma coisa
sem ganhar alguma outra coisa em troca.

O universo está sempre pronto
para preencher o seu vazio,
substituindo a tristeza pela alegria,
a perda pelo ganho,
a morte pelo renascimento.

O que então deve fazer
quando uma porta se fecha para você?
Primeiro, renuncie ao seu apego àquilo que era,
ou àquilo que gostaria de ser.

A Força Suprema tem preparado
para você uma dádiva ainda maior.
Depois,afirme para si mesmo:

"Quando uma porta se fecha,outra se abre.
Espero confiante e com alegria
o bem que me está reservado."

Seja paciente, pois ele logo, logo há de vir.

Jovens enviam imagem de Nossa Senhora dos 33 a mineiros soterrados


A Pastoral Juvenil do Uruguai enviou uma imagem da padroeira do seu país, Nossa Senhora dos Trinta e Três, ao grupo de 33 mineiros chilenos soterrados na jazida San José de Atacama, para dar-lhes esperança "nestes momentos difíceis".

A imagem foi entregue à delegação da Pastoral Juvenil chilena que participou do 3° Congresso Latino-americano de Jovens celebrado na Venezuela.

Na mensagem que acompanha a imagem, os jovens uruguaios explicam aos mineiros que "ela nasceu acompanhando os trinta e três homens que lutaram pela libertação de nosso país. Rezamos por sua libertação e pedimos à Virgem que interceda ante seu filho e os dê ânimo e esperança para passar estes momentos difíceis".

"Recebam nossa saudação e a segurança de nossa oração dos jovens uruguaios presentes no 3° Congresso Latino-americano de Pastoral Juvenil", expressaram.

Nossa Senhora dos Trinta e Três

Nossa Senhora dos Trinta e Três é, no Uruguai, a Imaculada Conceição. Sua devoção foi iniciada em 1726, ano da fundação de Montevidéu, quando se construiu a primeira igreja a ela dedicada.

A estatueta, inspirada na pintura da Ascenção de Murilo, foi esculpida por um índio e colocada em uma ermida na Serra do Pintado, próxima de uma aldeia jesuíta. Mais tarde com a saída dos jesuítas, o pequeno centro habitado recebeu o nome de Vila de Luján del Pintado, e mais tarde foi transferida para Florida.

Em maio de 1823, antes da batalha decisiva no Uruguai, 33 soldados vindos do Brasil, sob o comando do general Juan Lavalleja, na cidade de Florida, renovaram o juramento de "Liberdade ou Morte", desfilando diante do altar de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

A pequena imagem traz hoje uma lápide com a inscrição: "Diante desta imagem de Nossa Senhora de Luján del Pintado, os trinta e três inclinaram sua bandeira tricolor; a ela também invocaram os Convencionais da Independência".

Em 21 de novembro de 1962, a Virgem dos Trinta e Três, foi proclamada pela Santa Sé padroeira do Uruguai. Sua festa é no dia 8 de dezembro na hoje Basílica Menor de Florida.

fonte:cançãonova.com

Dez razões para viver a castidade no namoro


1. A pureza ajuda a ter uma boa comunicação com seu (sua) namorado (a).

Quando um casal de namorados vive a abstinência sexual, sua comunicação é boa porque não se concentram somente no prazer, mas na alegria de compartilhar pontos de vista e experiências; além disso, suas conversas são mais profundas. Por outro lado, a intimidade física é uma forma fácil de se relacionar, mas ofusca outras formas de comunicação. É um modo de evitar o trabalho que supõe a verdadeira intimidade emocional, como falar de temas pessoais e profundos, além de conhecer as diferenças básicas que existem entre ambos.

2. Cresce o lado amistoso do relacionamento.

A proximidade física pode fazer com que os jovens pensem estar emocionalmente próximos, quando, na verdade, não o estão. Um relacionamento romântico consiste essencialmente em cultivar uma amizade e não há amizade sem diálogo e sem compartilhar interesses. A conversa cria laços de amizade e ajuda um a descobrir o outro, a conhecer seus defeitos e qualidades. Alguns jovens se deixam levar por paixões e, depois, quando se conhecem em profundidade, se desencantam. Muitas vezes, nem sequer chegam a se conhecer porque não foram amigos, somente namorados com direitos.

3. Existe um melhor relacionamento com os pais de ambas as famílias.

Quando o homem e a mulher se respeitam mutuamente, amadurece o carinho e melhora a amizade com os pais de ambos. Geralmente, os pais de família preferem que seus filhos solteiros vivam a continência sexual e se sentem mal quando sabem que eles estão sexualmente ativos, sem estar casados. Quando um casal sabe que deve esconder suas relações sexuais, cresce a culpa e o estresse. Os jovens que vivem a pureza se relacionam mais cordialmente com os próprios pais e com os pais do (a) namorado (a).

4. As relações sexuais têm o poder de unir duas pessoas com força e podem prolongar uma relação pouco sã, baseada na atração física ou na necessidade de segurança.

Uma pessoa pode se sentir “presa” a um relacionamento do qual gostaria de sair porque – no fundo – não o deseja, mas não sabe como fazer. Uma pessoa casta pode romper com maior facilidade o vínculo afetivo que o ata ao outro, pois não houve uma intimidade tão poderosa no aspecto físico.

5. Estimula a generosidade contra o egoísmo.

As relações sexuais durante o namoro convidam ao egoísmo e à própria satisfação, inclinam o casal a sentir-se em concorrência com outras pessoas que podem chamar a atenção do (a) namorado (a). Estimulam a insegurança e o egoísmo porque o fato de começar a entrar em intimidade convida a pedir mais e mais.

6. Há menos risco de abuso físico ou verbal.

O sexo, fora do casamento, pode se associar à violência e a outras formas de abuso. Por exemplo, há duas vezes mais ocorrência de agressão física entre casais que convivem sem compromisso do que entre pessoas casadas. Há menos ciúme e menos egoísmo nos casais de namorados que vivem a pureza do que naqueles que se deixam levar pelas paixões.

7. Aumenta o repertório de modos de demonstrar afeto.

Os namorados que vivem a abstinência encontram detalhes “novos” para demonstrar afeto e contam com iniciativas e ideias para passar bem e demonstrar mutuamente seu carinho. O namoro se fortalece e eles têm mais oportunidades de se conhecer no que diz respeito à personalidade, aos costumes e à maneira de manter um relacionamento.

8. Existem mais possibilidades de triunfar no casamento.

As pesquisas têm demonstrado que os casais que já viveram juntos têm mais possibilidades de se divorciar do que os que não fizeram essa experiência.

9. Se você decidir terminar o namoro, doerá menos.

Os laços criados pela atividade sexual, por natureza, vinculam fortemente o casal. Então, se houver uma ruptura, será mais intensa a dor produzida pela separação, devido aos vínculos estabelecidos. Quando não tiverem relações íntimas e decidirem se separar, o processo será menos doloroso.

10. Você se sentirá melhor como pessoa.

Os adolescentes sexualmente ativos frequentemente perdem a autoestima e admitem viver com culpas. Quando decidem deixar de lado a intimidade física e viver castamente, sentem-se como novos e crescem como pessoas. Além disso, melhoram seu potencial intelectual, artístico e social. Com o sexo não se deve jogar. Quando alguém o pressionar dizendo: “Só te peço sexo uma vez e não insistirei mais”, uma boa resposta seria: “Isso é justamente o que me preocupa. Prefiro me conservar para alguém que vai me querer toda a minha vida”.

fonte:paideamor.com

Exorcista assegura que Satanás existe mas não tem "chifres, nem asas, nem cauda"


O sacerdote e exorcista espanhol José Fortea recomendou que os fiéis tenham medo de pecar, recordou que Satanás existe embora não tenha "chifres, nem asas nem cauda" e animou os fiéis a procurarem um sacerdote ante a suspeita de uma possessão.

Em une entrevista concedida ao jornal ‘El Tiempo’ durante sua visita à Colômbia, o sacerdote explicou que "o demônio não tem corpo, não tem cor, nenhuma forma visual, nem chifres, nem asas, nem cauda. É uma entidade imaterial, invisível", e esclareceu que em vez de ter medo dele, "devemos ter medo de pecar, de ofender a Deus".

"Acreditar em Deus supõe acreditar no que Ele disse. E Ele falou sobre a existência do demônio e advertiu, ao final do Pai Nosso: ‘livrai-nos do mal’, que se pode traduzir como ‘livrai-nos do maligno’", assinalou.

O sacerdote admite que nunca viu um demônio mas está seguro de sua existência e assegura ter sentido a presença do mal. "Não me tocaram nem fizeram coisas comigo. Nisso atuei como um cientista; mesmo levando hábito religioso, não estou desprovido da razão. Vi muitos possuídos ao longo de minha vida, existem fenômenos que não são enfermidades mentais e que se liberaram com exorcismos. Não se pode curar um esquizofrênico com um exorcismo", explicou.

"Certo número de vezes, estando sozinho em minha casa ou em outros lugares, senti uma presença maligna. E eu não sou nada sugestionável. E mentiria se não reconhecesse que senti essa presença maligna de um modo intenso e poderoso. Eu tinha um gato e vi como se escondia atrás das cortinas, olhando para um ponto concreto do ar; não é normal que um gato se esconda, trema e olhe para um ponto concreto", acrescentou.

Do mesmo modo, esclareceu que "embora costumamos falar do demônio, em realidade há muitos demônios, cada um distinto, mas há um que é o chefe de todos os demônios, o mais poderoso: Satanás".

O Padre Fortea assinalou que "todos aqueles que vão ao espiritismo, à bruxaria e, pior ainda, ao satanismo, correm o risco de ser possuídos. Essa é a lei geral, mas existem casos que não se explicam por que ocorrem, mesmo que não tenham recorrido a essas práticas".

"Quando um possuído recebe o exorcismo, passa um tempo razoável até ser liberado. Requer-se um número de sessões. O demônio resiste, porque sabe que está condenado a sair", acrescentou e recordou que sempre houve poucos casos de possessão e poucos exorcistas.

O sacerdote explica que não se sente "especialmente perseguido, mas a razão me diz que o demônio, dado que existe, tem algumas contas pendentes comigo".

fonte:acidigital.com

O universo pode ter sido criado sem Deus?


Não existe o acaso capaz de criar algo maravilhoso como o universo...

"Pela fé conhecemos que os mundos foram dispostos pela Palavra de Deus de modo que do invisível teve origem o visível" (Hb 11,3).

O físico mais famoso da Inglaterra, Stephen Hawking, defende que Deus “não tem lugar nas teorias do universo” e que este é fruto de um “feliz acaso” e de uma “criação espontânea”. Ele disse, no seu último livro: “The Grand Design”, que “é provável (não certo) que o universo tenha nascido do nada”. Mas algo não pode surgir do nada.

Quem é Hawking? Stephen Hawking, um dos maiores físicos teóricos de nossos tempos, perdeu grande parte das suas funções motoras, mas possui talento intelectual lúcido. A sua trajetória biográfica e científica foi mostrada no filme "Breve História do Tempo. É lamentável que ele contradiga a si mesmo, pois em 1988, quando escreveu o seu “best seller”: “Uma Breve História do Tempo”, parecia aceitar o papel de Deus na criação do universo. Nessa obra, ele declara:

"Se descobrirmos uma teoria completa a respeito da origem do universo, ela deverá ser compreensível a todas as pessoas e não apenas a um punhado de cientistas. Então todos nós, filósofos, cientistas e até gente da rua, seremos capazes de tomar parte na discussão sobre por que existe o universo e por que existimos nós. Se encontrarmos a resposta a estas perguntas, haverá o triunfo supremo da razão humana. Naquele momento conheceremos o pensamento de Deus".

Ele afirmou que a existência de um criador “não era incompatível com a ciência”, mas agora se contradiz. A sua nova posição deixa dúvida sobre a real posição do físico. Mais de trinta cientistas de renome - na recente série de documentários chamada “A Origem do Homem” - contestaram a sua postura. Essa série de nove documentários, realizada por “Goya Produções”, investiga o desenvolvimento do universo desde o “Big Bang” até os primatas, hominídeos e o triunfo do “Homo Sapiens”. A série expõe “a inconsistência de posições ateias como as de Hawking e Dawkins em um extremo, e a dos fundamentalistas no outro”. Conclui que "não é científico negar o sobrenatural. A ciência natural não capta o que cai fora da esfera material” (www.zenit.org/article-25969?l=portuguese).

Entre os pesquisadores que discordam de Hawking, destacam-se os prêmios Nobel Christian De Duve e Werner Arber. Alguns são crentes – judeus, católicos ou protestantes. O prêmio Nobel Christian de Duve afirma que a teoria de que o mundo é eterno, inventada por Fred Hoyl, mostrou-se falsa. Quem tinha razão era seu professor, o padre George Lemaitre, ao descobrir a teoria do “Big Bang”, a explosão que deu origem ao universo. Para o professor italiano Evandro Agazzi, o acaso não explica a existência do mundo. Aqueles que acreditam em tudo a partir de alguma ciência positiva caem numa “atitude reducionista anticientífica”. Não existe o senhor “Acaso”, livre, inteligente, e capaz de fazer um plano maravilhoso como o universo e criá-lo com tanta beleza e ordem.

Dr. Francis Colings, diretor do Projeto Genoma Humano, o maior em biotecnologia realizado até hoje, declara que: “a opção mais irracional é a do ateísmo” (Veja, n. 1992, de 24/01/2007).

O professor de Boston Thomas Glick acredita que os fundamentalistas do materialismo fabricam uma espécie de religião ou metafísica, “mas ninguém confunde isso com ciência”.

O prêmio Nobel suíço Werner Arber diz que: “Eu posso ler em Gênesis, no começo do Antigo Testamento, que o mundo foi criado em vários períodos, e para mim, esses vários períodos são precisamente evolução”.

Tudo o que existe “fora do nada” teve um início, teve um criador; é a realização de um projeto. Assim, o universo; ele não é eterno; teve princípio e terá fim; não pode ter surgido de si mesmo ou por acaso. O mundo não é eterno; teve um começo no tempo. A física da radiatividade mostra, pelo processo de desintegração dos elementos radiativos, que se pode calcular a idade do universo. O ato criador de Deus foi há cerca de 14,3 bilhões de anos.

A doutrina falsa da eternidade do mundo foi condenada pela Igreja. Em discurso de 22/11/1951, Pio XII confirmou isso falando sobre a existência de Deus à luz das modernas ciências naturais. Diz o nosso Catecismo da Igreja Católica (CIC) que:

“Nenhuma criatura tem o poder infinito que é necessário para "criar" no sentido próprio da palavra, isto é, produzir e dar o ser àquilo que não o tinha de modo algum (chamar à existência "ex nihilo" "do nada") (CIC §318).

São Teófilo de Antioquia (†181) já perguntava no século II:

“Que haveria de extraordinário se Deus tivesse tirado o mundo de uma matéria preexistente? Um artífice humano, quando se lhe dá um material, faz dele tudo o que quiser. Ao passo que o poder de Deus se mostra precisamente quando parte do nada para fazer tudo o que quer” (Ad Autolicum, 4; CIC § 296).

fonte:cançãonova.com

Vetada propaganda anti-católica de sorvetes mostrando "freira" grávida


Na Inglaterra

A entidade reguladora da publicidade na Inglaterra decidiu vetar um anúncio no qual se mostra a uma "freira" grávida em uma igreja sustentando uma colher e um pote de sorvete com a inscrição "concebido imaculadamente. O sorvete é nossa religião". A decisão se deu logo depois de uma série de protestas de católicos que assinalaram que o pôster constitui uma ofensa à fé.

O jornal Daily Mail informa que a firma de sorvetes Antonio Federici lançou este anuncio com a intenção de "comentar e questionar, usando a sátira e o bom humor, a relevância e a hipocrisia da religião e as atitudes da Igreja em temas sociais".

O aviso foi publicado pelas revistas The Lady e Grazia. A primeira admitiu que foi um engano havê-lo mostrado e sua editora que é irmã do prefeito de Londres, Rachel Johnson, expressou estar arrependida pela ofensa causada aos leitores.

Com respeito à Autoridade sobre Padrões de Publicidade (ASA, por suas siglas em inglês) assinala em uma declaração publicada hoje que os anúncios em geral "não devem conter nada que possa gerar uma ofensa ampla. Deve-se ter especial cuidado para evitar as ofensas em questões de raça, religião, sexo, orientação sexual ou deficiência física".

Sobre o anúncio dos sorvetes Antonio Federici, a ASA precisa que "consideramos que o uso de uma freira grávida através da imaculada concepção era provavelmente uma distorção e uma brincadeira com as crenças dos católicos. Concluímos que o uso de tal tipo de imagem de maneira tão ligeira para anunciar um sorvete pode ser uma séria ofensa aos leitores, particularmente para aqueles que praticam a fé católica".

Entretanto, assinala a BBC, porta vozes da Antonio Federici prometeram colocar um pôster similar nos arredores da Catedral de Westminster, coincidindo com a visita do Papa ao Reino Unido, que será "uma continuação do tema", transgredindo a declaração da ASA dada a conhecer pelo Daily Mail na que se estipula que o anúncio violou várias regras de decência e não deve ser publicado novamente.

fonte:acidigital.com

Veja como é o desenvolvimento do bebê no período fetal

A fase de desenvolvimento embrionário chegou ao fim. Os órgãos já estão formados e, de agora em diante, começa uma nova etapa no útero materno. Na terceira reportagem especial da série "Vida: O princípio", você acompanha o amadurecimento e os avanços do feto na barriga da mãe.

Assista à reportagem:




A nona semana chegou. A maioria dos órgãos do embrião está formada. Inicia-se agora o período fetal, quando então esses mesmos órgãos irão se desenvolver.

O início da vida é um processo desenvolvimento contínuo.

Imagine a construção de um ser humano representada por uma árvore. A raiz dela representa um ovo fertilizado, também chamado de zigoto. Em apenas dois dias, começa a etapa de divisão celular que irá dar início ao tronco. Serão necessários apenas mais seis dias para que células pluripotentes comecem a formar esse ser humano completo e também a placenta que irá abrigá-lo. Assim, os galhos desta árvore, representam os 256 tecidos ou órgãos que irão compor o corpo humano.

Oitava semana: Cabeça, corpo, as mãos e os pés estão bem definidos. Os cotovelos darão movimento aos braços e em pouco tempo a mãe irá notá-lo. O feto tem espaço de sobra dentro da barriga da mãe. Elaine vive as delícias e surpresas do início do terceiro trimestre. O primeiro ultrassom foi tirado com um pouco mais de um mês, o feto era menor que um grão de feijão e já era possível ouvir o coração batendo. Bastaram mais dois meses para novas descobertas, o bebê estava tirando o "dedinho" da boca.

A capacidade tátil é flagrada neste ultrassom; não é o do filho que Elaine espera, mas a situação é idêntica. O bebê mede quase oito centímetros e, em mais três semanas, o feto vai ganhar peso e crescer com grande rapidez.

Érika está de sete meses. A projetista se considera muito prática em tudo o que faz, mas admite que a vinda do filho é ainda um projeto novo, o que causa certa insegurança.

Na fase em que está, já com sete meses de gravidez, a relação entre mãe e bebê é muito intensa: O feto já se posiciona para nascer. Ele pode ouvir ruidos exteriores, em especial a voz e os batimentos cardíacos da mãe.

O feto agora pode medir até 40 cm e pesar entre um e dois quilos. O fundo do útero está próximo às costelas inferiores, o que deixa a mãe com falta de ar. Os seios também aumentam de tamanho e incomodam. A expectativa do parto faz aumentar a ansiedade de Joyce.

Ainda falta um mês, mas o novo visitante já está apto a chegar a qualquer momento. O fim da gestação é iminente. Joyce aguarda para a última consulta no hospital.

Os estágios de desenvolvimento são tão práticos quanto Érika, mas a emoção da gravidez já fez muita coisa mudar.

fonte:cançaonova.com

MISSA PARA GAYS

Em Londres, uma paróquia promove atualmente uma Missa especial para gays, e dizem ser com autorização do Vaticano. De fato isso me surpreende, e desconfio, porque hoje é muito complicado discernir aquilo que verdadeiramente vem do Santo Padre e o que vem do Vaticano. Porque decididamente, nem tudo aquilo que vem do Vaticano, vem do Papa.

Dizem que a exigência principal do Vaticano é que os gays não usassem desta prerrogativa como bandeira de protesto contra a moral católica, nem que descumprissem os preceitos da doutrina. Mas pergunto: seria isso possível? Já se viu algum movimento destes, que fosse pacifista de fato, e desejasse o mesmo que Deus deseja para o homem? O que se tem visto é que eles querem derrubar a Igreja, e usam para isso de todas as formas, porque em síntese é a única cuja moral condena este estado de vida.

O padre responsável diz que os contrários devem aprender a calar a boca, enquanto o Bispo diz que esta é uma decisão que ele deveria tomar, decisão esta que pode bem repercutir em outras localidades e outros países, para ser aceita. Há naturalmente os grupos de católicos que são contra, e a notícia diz que estes grupos se reúnem frente a Igreja para rezar o terço e pedem o fim desta Missa.

Diante deste fato, o que devemos considerar? Certo ou errado? Melhor assim do que eles ficarem sem Missa? Bom ou ruim para a Igreja?

1 – É preciso ficar bem claro que na Igreja Católica, TUDO deve ser ABERTO para TODOS, indistintamente, sem separação por raça, cor, idioma, nacionalidade, opção sexual, profissão, grupo, nível de vida ou autoridade.

2 – Tudo deve seguir a orientação fiel e segura do Papa, e dos documentos doutrinais da Igreja. A ninguém é dado receber vantagens especiais, e desta forma nenhum dos sete sacramentos pode ser administrado a quem vive em estado de pecado continuado.

3 – A Missa deve ser única e a MESMA, em todo o mundo, conforme a liturgia, porque este é seguramente o fator principal de sua unidade. Não se pode criar modos e meios que agradem uns, e desagradem outros. O que divide vem do demônio, mesmo que tenham uma aparente carinha de santidade.

Assim sendo:

1 – Está errado promover uma Missa especial para pessoas diferentes, porque este é um fator de divisão, de discórdia, que só trará malefícios. Tais pessoas devem se sentir bem dentro da Missa normal, com toda a comunidade, sem divisão de espécie alguma, ou não são católicos de fato.

2 – Se tais pessoas não se mantêm castos, e levam vida homossexual ativa, não podem de forma alguma participar dos Sacramentos, especialmente da Eucaristia, sob pena de sacrilégio e de excomunhão. Se eles se mantêm castos, não existe justificativa para que tenham uma Missa especial, só para um grupo de pessoas, que se acham especiais. Neste caso melhor ficar sem Missa, que receber indignamente um sacramento.

3 – As pessoas que têm esta tendência, na verdade não encontrarão nem a cura nem a satisfação devido a este procedimento. Até porque muitos deles não acham diferença entre estar na Igreja Católica ou na Abadia protestante que fica próxima. A Igreja acolhe com carinho a pessoa gay, como acolhe com carinho a todas as pessoas indistintamente, mas jamais será conivente com o pecado, porque sua moral, de origem divina, condena a vida marital entre pessoas do mesmo sexo. A Igreja de Pedro, jamais mudará este conceito!

4 – O simples fato da vida afetiva em comum, entre pessoas do mesmo sexo, leva já a um desarranjo no corpo social, sendo causa contínua de divisão e discórdia. Mesmo que visivelmente não apareça a segregação, nos corações de muitos, isso é inevitável, porque estigmatiza tais pessoas. Nestes casos, porém, JAMAIS pode ser aventada a discriminação, porque quanto ao pecado não existe contemporização.

Noutro dia, eu lia uma reportagem sobre uma pesquisa conduzida nos Estados Unidos, que para mim tem o maior fundamento, pois vai de encontro a tudo aquilo que tenho escrito: o problema do homossexualismo galopante de hoje, não tem origem em uma disfunção genética, mas simplesmente no desajuste familiar, e acontece na idade crítica que vai dos mais tenros anos, até a adolescência. Elas não nascem assim! Tais pessoas sofrem uma quebra de valores, e perdem o referencial, tanto masculino como feminino. E é angustiante, desesperador, terrível, esmagador o sofrimento pelo qual eles passam.

De fato, embora “gay” significa “alegre”, até hoje, em dezenas de casos que aqui nos chegaram, jamais vi um só deles alegre, feliz com seu estado, com sua tendência, antes vi sim, a marca da dor, do tormento, do estigma. Mesmo que tais pessoas assumam a sua condição, ainda assim quando sozinhos, nos seus quartos, seus travesseiros são testemunhas de rios de lágrimas. Ninguém faz idéia do quanto eles sofrem! Tenham plena certeza de que já chorei com a dor deles, alguns bons amigos!

O que fazer então? Mudar este mundo podre, imundo, onde os pais não dialogam mais com os filhos nem são presentes! Lutar por famílias unidas e felizes em torno das coisas de Deus pela oração! As famílias do divórcio são a segunda causa! Antes disso vêm as mães ausentes, que ao invés de estarem doutrinando os seus filhos estão no mercado de trabalho disputando empregos, cargos e salários, para poderem comprar pinturas e mil supérfluos. O terceiro caso se dá com os pais excessivamente duros, ou com as mães excessivamente femininas, quando não ensinam os filhos a serem assim. Claro, os casos de estupro dos pais nos filhos, mas destes pais cuida o diabo!

Assim, está completamente errado instituir Missas especiais para homossexuais, porque Jesus morreu para todos os que querem, indistintamente. Ele nos quer todos em uma só comunidade de amor, jamais divididos por categorias ou segregados por estigmas. Não creio que o Santo Padre tenha autorizado isso, e se alguém o fez em nome dele, pagará caro, porque isso divide e segrega.

Tais pessoas devem ser acolhidas com normalidade, sem serem estigmatizadas e em oração, porque a oração com o coração, pode mudar qualquer desvio pessoal, inclusive o doloroso estado de homossexualismo. Do fundo da alma, duvido que algum deles deseje ser o que é e viver a dor que vive. Mas devem se manter castos, para que possam participar da Eucaristia. Só Jesus lhes poderá dar a vitória! Ele morreu por todos, e na Missa quer todos os pés da cruz!

E gritemos juntos: Vem, Senhor Jesus! Nós te imploramos!

fonte:paideamor.com

Nossa Senhora das Dores


"Quero ficar junto à cruz, velar contigo a Jesus e o teu pranto enxugar!"

Assim, a Igreja reza a Maria neste dia, pois celebramos sua compaixão, piedade; suas sete dores cujo ponto mais alto se deu no momento da crucifixão de Jesus. Esta devoção deve-se muito à missão dos Servitas – religiosos da Companhia de Maria Dolorosa – e sua entrada na Liturgia aconteceu pelo Papa Bento XIII.

A devoção a Nossa Senhora das Dores possui fundamentos bíblicos, pois é na Palavra de Deus que encontramos as sete dores de Maria: o velho Simeão, que profetiza a lança que transpassaria (de dor) o seu Coração Imaculado; a fuga para o Egito; a perda do Menino Jesus; a Paixão do Senhor; crucifixão, morte e sepultura de Jesus Cristo.

Nós, como Igreja, não recordamos as dores de Nossa Senhora somente pelo sofrimento em si, mas sim, porque também, pelas dores oferecidas, a Santíssima Virgem participou ativamente da Redenção de Cristo. Desta forma, Maria, imagem da Igreja, está nos apontando para uma Nova Vida, que não significa ausência de sofrimentos, mas sim, oblação de si para uma civilização do Amor.

Nossa Senhora das Dores, rogai por nós!

Novena a São Pio de Pietrelcina

De 1918 a 1968, ano de sua morte, os estigmas o fizeram sofrer muito. Tudo suportava pela salvação das almas. Unia suas dores às de Nosso Senhor Jesus Cristo na cruz, por amor.



Sofreu insultos, calúnias, foi investigado, até proibido de presidir Santas Missas para os fiéis. Os médicos realizaram exames em suas chagas e disseram que se tratava de algo sobrenatural.

Padre Pio buscava, no apostolado da Cruz de Nosso Senhor, toda a força e a sabedoria para viver a sua missão. Compreendeu, desde o início, o seu caminho de Cruz e o aceitou imediatamente como vontade de Deus. Por amor, levou sua cruz ao longo da vida.

Suportou com serenidade o sofrimento causado pelas chagas. Respondeu com silêncio às afrontas que lhe faziam, recorrendo à mortificação e às longas horas de oração. (Trecho do "Devocionário a São Pio de Pietrelcina").

Primeiro dia

Amado São Pio de Pietrelcina, que trouxeste no teu corpo os sinais da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Tu que carregaste a Cruz por todos nós, suportando os sofrimentos físicos e morais que flagelavam a alma e o corpo em um martírio contínuo, intercede junto a Deus a fim de que cada um de nós saiba aceitar as pequenas e as grandes cruzes da vida, transformando cada sofrimento em um seguro vínculo que nos liga à vida eterna.

"Convém acostumar-se com os padecimentos, que agradará a Jesus mandar-vos. O Senhor que não pode sofrer de manter-vos em aflição, virá a solicitar-vos e a confortar-vos com o infundir no vosso espírito nova coragem" (Padre Pio).

Rezar a Coroa do Sagrado Coração de Jesus:

COROA AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

1 - Ó meu Jesus, que dissestes: "Em verdade vos digo, pedi e recebereis, procurai e achareis, batei e ser-vos-á dado!" Eis que bato, procuro e peço a graça (fazer o pedido). Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

Sagrado Coração de Jesus, confio e espero em Vós!

2 - Ó meu Jesus, que dissestes: "Em verdade, vos digo, qualquer coisa que pedis ao meu Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá!" Eis que ao Vosso Pai, em Vosso nome, eu vos peço a graça (fazer o pedido). Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

Sagrado Coração de Jesus, confio e espero em Vós!

3 - Ó meu Jesus, que dissestes: "Em verdade, vos digo, passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão!" Eis que, apoiado na infalibilidade das Vossas santas palavras, eu Vos peço a graça (fazer o pedido). Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

Sagrado Coração de Jesus, confio e espero em Vós!

Oração: Ó Sagrado Coração de Jesus, a quem uma única coisa é impossível, isto é, a de não ter compaixão dos infelizes, tende piedade de nós, míseros pecadores, e concedei-nos as graças que Vos pedimos por intermédio do Coração Imaculado da Vossa e nossa terna Mãe. São José, Amigo do Sagrado Coração de Jesus, rogai por nós.

Rezar a Salve Rainha.


Segundo dia

São Pio de Pietrelcina, que, junto de Nosso Senhor Jesus Cristo, soubeste resistir às tentações do maligno, tu que sofreste os golpes e as vexações dos demônios, que queriam levar-te a abandonar a tua estrada de santidade, intercede junto ao Altíssimo a fim de que também nós, com o teu auxílio, encontremos a força para renunciar ao pecado e conservar a fé até o dia de nossa morte.

"Tenha ânimo e não temas as obscuras iras de Lúcifer. Lembra-te para sempre disto: 'Que é bom sinal quando o inimigo faz barulho e ruge em torno de tua vontade - uma vez que isso demonstra que ele não está dentro'" (Padre Pio)

Terceiro dia

Virtuoso São Pio de Pietrelcina: que tanto amaste a Mãe Celeste a ponto de receber dela cotidianas graças e consolações, intercede por nós junto da Virgem Santa depondo nas tuas mãos os nossos pecados e as nossas frias orações, a fim de que, assim como em Caná de Galiléia, o Filho diga "sim" à Mãe e o nosso nome possa ser escrito no livro da vida.

"Maria seja a estrela, que vos aclare o caminho, mostre-lhes a via segura para ir ao Pai Celeste; ela seja como âncora a qual deveis sempre mais estreitamente unir-vos no tempo da prova" (Padre Pio).

Quarto dia

Casto São Pio de Pietrelcina, que tanto amaste o teu Anjo da Guarda, o qual te guiava, defendia e era o teu mensageiro, a ti as figuras angélicas levaram as preces dos teus filhos espirituais. Intercede junto ao Senhor a fim de que também nós aprendamos a servir-nos do nosso anjo do Anjo da Guarda, que por toda a nossa vida está pronto a sugerir-nos o caminho do bem e dissuadir-nos da realização do mal.

"Invoca o teu Anjo da Guarda, que ele te iluminará e conduzirá. O Senhor colocou-o perto de ti precisamente para isso. Por isso, serve-te dele" (Padre Pio).

Quinto dia

Prudente São Pio de Pietrelcina, que nutriste uma grandíssima devoção pelas almas do purgatório, pelas quais te ofereceste como vítima expiatória, roga ao Senhor a fim de que infunda em nós o sentimento de compaixão e de amor que tu tinhas por estas almas, de modo de que nós também consigamos reduzir o seu tempo de exílio, buscando ganhar para elas, com o sacrifícios e orações, as santas indulgências que lhes são necessárias.

"Vós, Senhor, suplico-Te de querer derramar sobre mim os castigos que estão preparados aos pecadores e às almas do purgatório; multiplicai-os da mesma forma sobre mim, desde que convertas e salves os pecadores e livres logo as almas do purgatório" (Padre Pio).

Sexto dia

Obediente São Pio de Pietrelcina, tu amaste aos enfermos mais do que a ti mesmo, vendo neles Jesus. Tu que, em nome do Senhor, operaste milagres de curas no corpo, devolvendo a esperança de uma vida e o renovamento no Espírito. Roga a Senhor a fim de que todos os enfermos, por intercessão de Maria Santíssima, possam experimentar teu potente patrocínio e através da cura corporal possam tirar vantagens espirituais para agradecer e louvar o Senhor Deus eternamente.

"Se depois eu sei que uma pessoa está aflita, seja na alma ou no corpo, o que eu não faria junto do Senhor para vê-la livre dos seus males? Com prazer me carregaria para vê-la salva de todas as suas aflições, cedendo em seu favor os frutos de tais sofrimentos, se o Senhor mo permitisse" (Padre Pio).

Sétimo dia

Bendito São Pio de Pietrelcina, tu que aderiste ao projeto de salvação do Senhor oferecendo teus sofrimentos para desligar os pecadores dos laços de satanás, intercede junto a Deus a fim de que os que não creem tenham a fé e se convertam. Os pecadores se arrependam do fundo do coração, os tíbios, se afervorem na sua vida cristã e os justos perseverem no caminho da salvação.

"Se a pobre alma pudesse ver a beleza da alma na graça, todos os pecadores, todos os incrédulos se converteriam no mesmo instante" (Padre Pio).

Oitavo dia

Puro São Pio de Pietrelcina, que tanto amaste os teus filhos espirituais, muitos dos quais conquistaste a Cristo a preço do teu sangue, concede também a nós, que não te conhecemos pessoalmente, considerarmos teus filhos espirituais, assim que com a tua paterna proteção, com a tua santa guia, e com a força que obterás do Senhor para nós, poderemos, no momento da morte, encontrar-te às portas do Paraíso à espera da nossa chegada.

"Se me fosse possível, quereria obter do Senhor somente uma coisa; quereria que me dissesse: 'Vá ao Paraíso', quereria obter esta graça: 'Senhor, não me deixes ir ao Paraíso até que o último de meus filhos, a última das pessoas confiadas aos meus cuidados sacerdotais não tenha entrado antes de mim'" (Padre Pio).

Nono dia

Humilde Padre Pio de Pietrelcina, que tanto amaste a santa madre Igreja, intercede junto ao Senhor a fim de que mande operários para Sua messe e dê a cada um deles a força e inspiração dos filhos de Deus. Pedimos-te, além disto, que intercedas junto da Virgem Maria, a fim de que guie os homens em direção à unidade dos cristãos, recolhendo-os em uma única grande casa, a qual seja o farol de salvação no mar de tempestade que é a vida.

"Permaneça sempre agarrado à Santa Igreja Católica, porque só ela te pode dar a verdadeira paz, porque só ela possui Jesus Sacramentado, que é o verdadeiro Príncipe da Paz" (Padre Pio).

fonte:cançãonova.com

Votopelavida.com denuncia PT e promoção do aborto


Votopelavida.com é uma iniciativa internacional que visa monitorar as eleições em toda a América Latina, denunciando os candidatos e os partidos que ocultam seu envolvimento com a promoção da Cultura da Morte e apontando os candidatos que têm se empenhado efetivamente em defender o reconhecimento do direito à vida em todas as suas etapas. Os responsáveis pelo site assinalam que existem grandes interesses internacionais que promovem a Cultura da Morte na América Latina. No Brasil, o Partido dos Trabalhadores (PT) é, no momento, o principal aliado destes interesses. Jamais alguma instituição colaborou tanto para a implantação do aborto no Brasil como o tem feito o PT em seus últimos oito anos de governo.

“A grande maioria do povo brasileiro é radicalmente contra o aborto e sua legalização, entendendo que esta prática é um homicídio e um atentado contra o direito fundamental à vida”, destacam os líderes da iniciativa pró-vida. No entanto eles recordaram que o PT “assumiu, como programa oficial de governo, tornando-o obrigatório para todos os seus membros, a total descriminalização do aborto no país, ao mesmo tempo em que, com espantoso cinismo, não obstante toda a ampla documentação em contrário, nega publicamente este fato aos seus eleitores”.

“O atual governo reconheceu diante da ONU o aborto como um direito humano; forçou a aprovação de um projeto de lei no Congresso que legalizaria o aborto durante todos os nove meses da gravidez, ao mesmo tempo em que prometia que jamais o faria; ampliou a rede de serviços de abortos ditos "legais" para promover, sem sucesso, a ampliação da aprovação da opinião pública à prática do aborto; apoiou a difusão de cursos de treinamento em práticas de aborto para a classe médica em todo o território nacional; boicotou o tanto quanto pôde a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito que investigaria quais seriam os interesses internacionais que promovem estas práticas no Brasil”, denuncia também votopelavida.com.

Depois de recordar que o partido do governo puniu os deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, acusando-os de violações graves contra a Ética Partidária, por terem militado contra a descriminalização do aborto, chama atenção do eleitor para uma mais ativas candidatas do partido ao Senado pelo Estado de São Paulo, a ex-prefeita Marta Suplicy, que foi colaboradora das principais instituições internacionais que têm como objetivo facilitar a introdução da Cultura da Morte no Brasil.

Votopelavida lembra também que “os bispos católicos do Regional Sul 1 da CNBB, que representa as 47 dioceses do Estado de São Paulo, publicaram um documento intitulado Apelo a todos os Brasileiros e Brasileiras, que está sendo distribuído em todo o Brasil, por meio de incontáveis voluntários, e está sendo crescentemente reproduzido e divulgado por muitos milhares de sites na rede mundial de computadores”. Além disso, “Pastores evangélicos, denunciando estes mesmos fatos, estão divulgando, através da Internet, vídeos que atingiram, em pouquíssimos dias, audiências de milhões de acessos”, recordaram também os pró-vidas responsáveis pelo site.

“Neste domingo, dia 3 de outubro, o Brasil terá uma oportunidade para defender a vida em todas as suas etapas ou optar pela institucionalização da Cultura da Morte em sua nação. Para que isto ocorra de modo consciente, entretanto, é necessário que antes denunciemos o imenso teatro, montado pelos meios de comunicação, que foi estabelecido para ocultar estes fatos do povo brasileiro”, destacaram os organizadores do Voto pela Vida.

Para mais documentos e informação útil para votar bem nestas eleições, visite o site: http://www.votopelavida.com

fonte:acidigital.com

Canção Nova promove campanha multimídia de valorização da vida


O Sistema Canção Nova de Comunicação irá veicular em seu portal e emissora de televisão, a partir de hoje, 13/9, duas séries sobre o valor da vida humana.A série irá mostrar a emoção da mãe com o nascimento dos filhos, a orientação dos médicos sobre o desenvolvimento das crianças, as características importantes de cada fase do crescimento, tudo com o intuito de levar o telespectador a reconhecer a maravilha da vida humana.

O telejornal Canção Nova Notícias, da TV Canção Nova (TVCN), veicula nesta segunda feira, às 19h30, uma série de entrevistas e reportagens sobre o valor da vida humana intitulada Vida: o princípio. A série irá mostrar a emoção da mãe com o nascimento dos filhos, a orientação dos médicos sobre o desenvolvimento das crianças, as características importantes de cada fase do crescimento, tudo com o intuito de levar o telespectador a reconhecer a maravilha da vida humana.

Ao longo dessa quinzena, o portal Canção Nova (www.cancaonova.com) irá veicular o especial “Vida, um direito de todos”, que além da opinião de médicos, psicólogos, filósofos, autoridades eclesiásticas sobre o tema, contará com depoimentos de mulheres que ponderaram fazer um aborto, mas optaram por ter seus filhos mesmo passando por um momento muito difícil. As matérias vão ao ar nos próximos 15 dias, sempre às segundas, quartas e sextas-feiras.

As mídias sociais Twitter, Facebook, Orkut e Gente de Fé (site de relacionamento da Canção Nova) serão utilizadas para fomentar a discussão com o público católico, em especial a geração Y.

A intenção da Canção Nova é levar ao público informações relevantes e depoimentos de profissionais altamente qualificados para amplificar essa discussão por meio das novas mídias.

A TV CN possui ainda 350 retransmissoras. Seu sinal atinge todo o território nacional por antena parabólica, além de TV por assinatura e operadoras de TV a cabo. Em São Paulo pode ser sintonizada no canal 24 da SKY.

A série Vida: o princípio pode ser assistida também no portal da Canção Nova: www.cancaonova.com, onde estão abrigadas as redes sociais que irão debater o assunto de forma interativa.

fonte:acidigital.com

Missão do bispo é guardar aliança entre Cristo e Igreja, diz Papa


Bento XVI recebeu em audiência os 120 bispos recém-nomeados participantes de um encontro promovido pela Congregação para os Bispos. O encontro aconteceu na manhã desta segunda-feira, 13, às 12h locais, na Sala dos Suíços do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo.

O Santo Padre cumprimentou especialmente o novo prefeito do dicastério vaticano, Cardeal Marc Ouellet, e o prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, Cardeal Leonardo Sandri.

"A Igreja é 'noiva de Cristo' e o Bispo é o 'guardião' (episkopos) desse mistério. [...] Ao Bispo, portanto, está confiada uma aliança nupcial: aquela da Igreja com Cristo", disse o Papa aos novos prelados.

Sobre o conceito de guardar, o Bispo de Roma explicou que não se trata sobretudo de preservar o que já está estabelecido, "mas inclui, na sua essência, também o aspecto dinâmico, isto é, uma permanente e concreta tendência ao aperfeiçoamento, em plena harmonia e contínua adequação às novas exigências decorrentes do desenvolvimento e do progresso daquele organismo vivo que é a comunidade".

Após citar um comentário de São Tomás de Aquino sobre o Evangelho do Bom Pastor – "Ele [o bispo] consagra a elas [as ovelhas] a sua pessoa no exercício da autoridade e da caridade" - e a Constituição Dogmática sobre a Igreja Lumen Gentium – indicando que o bispo deve se dar a todos e cuidar dos fiéis como a verdadeiros filhos -, Bento XVI afirmou:

"A missão do Bispo não pode ser entendida a partir da mentalidade da eficiência e eficácia, porque essas concentram a atenção primariamente sobre o que se precisa fazer, mas devemos ter sempre presente a dimensão ontológica, que é a base daquela função".

Por fim, o Santo Padre indicou que as responsabilidades do bispo dizem respeito não apenas ao bem da diocese, mas também da sociedade.

A esse respeito, afirmou que o bispo "não é um mero governante, ou um burocrata, ou um simples moderador e organizador da vida diocesana. São a paternidade e a fraternidade em Cristo que dão ao Superior a capacidade de criar um clima de confiança, acolhida, afeto, mas também de franqueza e justiça".

fonte:cançãonova.com

Outonos e primaveras...


A primavera só pode ser o que é porque o outono a embalou nos braços...
Primavera é tempo de ressurreição. A vida cumpre o ofício de florescer ao seu tempo. O que hoje está revestido de cores precisou passar pelo silêncio das sombras. A vida não é por acaso. Ela é fruto do processo que a encaminha sem pressa e sem atropelos a um destino que não finda, porque é ciclo que a faz continuar em insondáveis movimentos de vida e morte. O florido sobre a terra não é acontecimento sem precedências. Antes da flor, a morte da semente, o suspiro dissonante de quem se desprende do que é para ser revestido de outras grandezas. O que hoje vejo e reconheço belo é apenas uma parte do processo. O que eu não pude ver é o que sustenta a beleza.

A arte de morrer em silêncio é atributo que pertence às sementes. A dureza do chão não permite que os nossos olhos alcancem o acontecimento. Antes de ser flor, a primavera é chão escuro de sombras, vida se entregando ao dialético movimento de uma morte anunciada, cumprida em partes.

A primavera só pode ser o que é porque o outono a embalou em seus braços. Outono é o tempo em que as sementes deitam sobre a terra seus destinos de fecundidade. É o tempo em que à morte se entregam, esperançosas de ressurreição. Outono é a maternidade das floradas, dos cantos das cigarras e dos assobios dos ventos. Outono é a preparação das aquarelas, dos trabalhos silenciosos que não causam alardes, mas que, mais tarde, serão fundamentais para o sustento da beleza que há de vir.

São as estações do tempo. São as estações da vida.

Há em nossos dias uma infinidade de cenas que podemos reconhecer a partir da mística dos outonos e das primaveras. Também nós cumprimos em nossa carne humana os mesmos destinos. Destino de morrer em pequenas partes, mediante sacrifícios que nos fazem abraçar o silêncio das sombras...

Destino de florescer costurados em cores, alçados por alegrias que nos caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que depois de outonos, a vida sempre nos reserva primaveras...Floresçamos.

Padre Fábio de Melo

fonte:cançãonova.com

Deus nos ama apesar de nossos pecados, recorda Bento XVI


Um numeroso grupo de fiéis se reuniu este meio-dia na praça centra de Castel Gandolfo para rezar o Ângelus com o Papa Bento XVI, quem em suas palavras introdutórias à oração Mariana recordou que Deus está incansavelmente nos buscando e percorrendo aquele caminho que Dele nos separa.

“Quando Jesus fala do pastor que vai atrás da ovelha perdida, da mulher que busca a dracma, do pai que vai ao encontro do filho pródigo e o abraça, não são apenas palavras, elas constituem a explicação de seu próprio ser e agir”, disse o Santo Padre meditando sobre o Evangelho de hoje.

Continuando com sua reflexão em torno das parábolas hodiernas o Pontífice disse: “O pastor que encontra a ovelha perdida é o mesmo Senhor que toma sobre si, com a Cruz, a humanidade pecadora para redimi-la. O filho pródigo é um jovem que após tomar a herança do pai parte para um país longínquo desperdiçando seu patrimônio. Reduzido à miséria, viu-se obrigado a trabalhar como escravo, aceitando inclusive alimentar-se com comida destinada aos animais”.

O Papa citou ao doutor de Hipona, Santo Agustinho, para descrever o percurso interior do filho pródigo, e nele de todos os homens, do pecado para Deus, para o Pai: “É o mesmo Verbo que te grita que retorne; o lugar da tranqüilidade imperturbável é onde o amor não conhece o abandono”.

“Como não abrir nosso coração à certeza que, apesar de sermos pecadores, somos amados por Deus?”, perguntou o Pontífice. “Ele não se cansa nunca de sair a nosso encontro, percorre sempre em primeiro lugar o caminho que nos separa Dele”.

Mais adiante Bento XVI recordou que “só a fé pode transformar o egoísmo em alegria e reatar em modo justo a relação com o próximo e a relação com Deus”.

Finalmente o Papa encomendou à Virgem Maria “nosso caminho de conversão”, rezou o Ângelus, saudou em diversos idiomas os presentes repartindo a todos sua Bênção Apostólica.

fonte:acidigital.com

Como nos livrar das forças espirituais do mal


Como se livrar de uma pessoa impertinente? Evitando-a. Como podemos nos livrar das forças espirituais do mal? Orando contra elas. Nossas orações são como flechas que mantém longe o Inimigo. Ainda que os nossos problemas e as nossas lutas sejam as mais comuns e corriqueiras precisamos aprender a enfrentá-las a partir de Deus e com uma força divina. É o que nos revela o Espírito Santo: “Porque, ainda que vivamos na carne, não militamos segundo a carne. Não são carnais as armas com que lutamos. São poderosas, em Deus, capazes de arrasar fortificações” (II Cor 10, 3-4).

Não devemos fugir da luta. É estupidez virar as costas para um inimigo que não vê a hora de nos apunhalar. Antes, devemos pedir que o Espírito faça conosco o mesmo que fez com Jesus quando o levou ao deserto, para enfrentar e vencer o Tentador que o espreitava (cf. Mt 4,1). Conduzido pelo Espírito, Jesus libertou-se do Maligno, e agora pode também libertar-nos do poder de Satanás. O Espírito Santo que conduziu Jesus na luta e o levou a derrotar o Inimigo é o mesmo que está agora ao nosso lado; pronto, como diz o Salmo, para “adestrar nossas mãos para o combate e nossos dedos para a guerra” (cf. Sl 143, 1).

O meio mais necessário e seguro para ter a vitória nesta luta é recorrer logo a Deus com humildade e confiança. Devemos nos revestir do Espírito e confiar: Deus virá em nosso auxílio. Se clamarmos “Apressai-vos, ó Deus, em me livrar; depressa, Senhor, vinde em meu auxílio” (Sl 69, 2), diz Santo Afonso de Ligório, que bastará essa oração para nos fazer vencer os assaltos de todos os demônios do inferno, porque Deus é infinitamente mais forte que todos eles.

Marcio Mendes