Apocalipse, um livro misterioso e fascinante


Por possuir revelações e abordar situações parecidas com as vividas por nós hoje, muitos cristãos têm medo do Apocalipse, o último livro do Novo Testamento. Esses escritos foram redigidos pelo apóstolo São João, já no final de sua vida, por volta do ano 100, sob a forma de uma carta às Igrejas da Ásia menor, que viviam tempos difíceis de perseguição romana.

Neste mês, um curso organizado pelo Studium Biblicum Franciscanum, de Jerusalém, buscou explicar mais sobre esse livro tão temido. Ministrado pelo professor e padre Michael Mazzeo - estudioso italiano que escreveu várias obras sobre o tema -, o curso foi pensado como uma introdução e uma abordagem à exegese teológica.

Para o sacerdote, o Apocalipse é uma obra difícil de ser compreendida. “São Jerônimo já afirmava: ‘Cada palavra contém um mistério’. O último livro da Bíblia, muitas vezes, é interpretado incorretamente, não fiel à mensagem original”.

Os escritos são divididos em duas partes: a primeira contém uma série de cartas enviadas às Igrejas e a segunda, visões e imagens que expressam o juízo de Deus na história.

O estudioso ressaltou o cuidado com o verdadeiro sentido do termo, pois, quando acontece um desastre ou até mesmo um atentado, como a destruição das Torres Gêmeas – em 11 de setembro de 2001 -, logo é utilizada a palavra “apocalipse”; sem contar os filmes e livros que abordam o assunto. “O Apocalipse é como um roteiro já pronto para cinema. O que não quer dizer que o conteúdo e a forma utilizada sejam reais nos vários filmes produzidos. Essas obras trabalham com especulações e fantasias, sem nenhum apoio teológico real”, alertou.

Mazzeo também fez questão de enfatizar que o Apocalipse não é um livro para ser temido, mas interpretado segundo os critérios teológicos. “Não é real pararmos nas visões sem uma chave de leitura adequada. O importante do ‘livro da revelação’ é o chamado à conversão, à volta ao Deus bom e misericordioso - o nosso ‘alfa e ômega’, princípio e fim”, salientou.

Assista à reportagem:


fonte:cançãonova.com

Nenhum comentário: