Devoção ao Sagrado Coração de Jesus

O Coração de Jesus é o foco do amor. A devoção ao Sagrado Coração é a devoção que vem do amor como princípio, que se dirige ao amor como fim, que emprega o amor como meio. Celebrando este grande Amor de Deus por nós, somos convidados a renovar nossa devoção a Jesus, manifestado concretamente na vivência deste amor na família, na Igreja Doméstica, na partilha do pão, na alegria de celebrar em comunidade a Eucaristia, Vida de Jesus entregue por nós.
No Ano da Eucaristia, celebrar o Coração de Jesus torna-se uma importante ocasião pastoral para que toda a comunidade cristã novamente se sensibilize para fazer deste admirável Sacrifício e Sacramento o coração da própria vida.

Origem da Devoção

A devoção ao Sagrado Coração tem sua origem na própria Sagrada Escritura. O coração é um dos modos para falar do infinito amor de Deus por você. Este amor chega a seu ponto alto com a vinda de Jesus.
A devoção ao Sagrado Coração aparece em dois acontecimentos fortes do evangelho: o gesto de São João, discípulo amado, encostando a sua cabeça em Jesus durante a última ceia (cf. Jo 13,23); e na cruz, onde o soldado abriu o lado de Jesus com uma lança (cf. Jo 19,34). Em um temos o consolo pela dor da véspera de sua morte, e no outro, o sofrimento causado pelos pecados da humanidade. Estes dois exemplos do evangelho nos ajudam a entender o apelo de Jesus, feito em 1675, a Santa Margarida Maria Alacoque:
"Eis este coração que tanto tem amado os homens. Não recebo da maior parte senão ingratidões, desprezos, ultrajes, sacrilégios, indiferenças...
Eis que te peço que a primeira sexta-feira depois da oitava do Santíssimo Sacramento (Corpo de Deus) seja dedicada a uma festa especial para honrar o Meu coração, comungando neste dia e dando-lhe a devida reparação por meio de um ato de desagravo, para reparar as indignidades que recebeu durante o tempo em que esteve exposto sobre os altares.
E prometo-te que o Meu Coração se dilatará para derramar com abundância as influências de Seu divino Amor sobre os que tributem esta divina honra e que procurem que ela lhe seja prestada."
O papa João Paulo II sempre cultivou esta devoção, e a incentivava a todos que desejassem crescer na amizade com Jesus.

O Sagrado Coração de Jesus e Santa Maria Alacoque

O Sagrado Coração de Jesus apareceu a Santa Margarida Maria Alacoque, jovem religiosa da Ordem da Visitação, para transmitir sua mensagem de misericórdia e confiança, expressa no coração humano e divino do Verbo Encarnado. O Culto ao Sagrado Coração de Jesus obteve, a partir de então, grande impulso e espalhou-se por toda a Igreja.
Santa Margarida Maria, que recebeu a missão de espalhar pelo mundo a devoção ao Sagrado Coração ofendido pela ingratidão dos homens, foi incompreendida e perseguida, até que a Providência colocou em seu caminho o jesuíta São Cláudio La Colombière, que lhe deu orientação segura e conseguiu fazer com que sua mensagem começasse a ser vista com outros olhos. Canonizada em 1920, sua festa é celebrada no dia 16 de outubro.

Promessas do Sagrado Coração de Jesus a Santa Maria Alacoque

* Eu lhes darei todas as graças necessárias para seu estado.
* Eu darei paz às suas famílias.
* Eu as consolarei em todas as suas aflições.
* Eu lhes serei um refúgio seguro durante a vida, e sobretudo na hora da morte.
* Eu lançarei abundantes bênçãos sobre todas as sua empresas.
* Os pecadores acharão, em meu coração, a fonte e o oceano infinito de misericórdia.
* As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas.
* As almas fervorosas se elevarão a uma grande perfeição.
* Eu mesmo abençoarei as casas onde se achar exposta e honrada a imagem do meu coração.
* Eu darei aos sacerdotes o poder de tocar os corações mais endurecidos.
* As pessoas que propagarem esta devoção terão para sempre seu nome inscrito no meu coração.
* Darei a graça da penitência final e dos últimos sacramentos, aos que comungarem na primeira sexta-feira de nove meses seguidos.

Pensamentos de Santa Margarida Maria

“Nunca desconfieis da misericórdia do Sagrado Coração, que é infinitamente maior que todas as nossas misérias”.
“O Sagrado Coração quer reinar no coração do mundo inteiro porque todos lhe foram dados por herança”.
“O maior testemunho de amor que podemos dar ao Sagrado Coração e a melhor reparação que lhe podemos oferecer é unirmo-nos a Ele, muitas vezes, pela comunhão sacramental e desejarmos ardentemente essa união pela comunhão espiritual”.
“Todos podemos ser apóstolos do Sagrado Coração, porque temos corpos capazes de sofrer e trabalhar, e corações para amar e orar”.
*Do livro “O Coração de Jesus, segundo a doutrina de santa Margarida Maria Alacoque”.

S. Margarida Maria Alacoque recebe as revelações
do Sagrado Coração de Jesus
[Igreja do "Gesù Nuovo" - Nápoles]


CONSAGRAÇÃO AO CORAÇÃO DE JESUS

- Eu (diga seu nome), Vos dou e consagro, ó Sagrado Coração de Jesus Cristo, minha vida, minhas ações, penas e sofrimentos,para não querer mais servir-me de nenhuma parte de meu ser, senão para Vos honrar, amar e glorificar.
- É esta a minha vontade irrevogável: ser todo Vosso e tudo fazer por Vosso amor, renunciando de todo o meu coração a tudo quanto Vos possa desagradar.
- Tomo-Vos, pois, ó Sagrado Coração, por único bem de meu amor, protetor de minha vida, segurança de minha salvação, remédio de minha fragilidade e de minha inconstância, reparador de todas as imperfeições de minha vida e meu asilo seguro na hora da morte.
- Sede, o Coração de bondade, minha justificação diante de Deus, Vosso Pai, para que desvie de mim Sua justa cólera.
- Ó Coração de amor, deposito toda a minha confiança em Vós, pois tudo temo de minha malícia e de minha fraqueza, mas tudo espero em Vossa bondade!
- Extingui em mim tudo o que possa desagradar-Vos ou que se oponha à Vossa vontade.
- Seja o Vosso puro amor tão profundamente impresso em meu coração, que jamais possa eu esquecer-Vos nem separar-me de Vós.
- Suplico, por todas as Vossas finezas, que meu nome seja escrito em Vosso Coração, pois quero fazer consistir toda a minha felicidade e toda a minha glória em viver e morrer como Vosso escravo. Amém. (Santa Margarida Maria)

Fonte - livro de oração: Acenda a Luz do Pe. Alberto Gamberini

AS 12 PROMESSAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS


Nosso Senhor apareceu numerosas vezes a Santa Margarida Maria Alacoque (de 1673 até 1675).

Nessas aparições, Ele fez 12 importantes promessas. Leia-as abaixo com atenção e você perceberá os grandes benefícios espirituais que essa devoção trará para sua vida.


1ª Promessa:“Eu darei aos devotos de meu Coração todas as graças necessárias a seu estado”.

2ª Promessa:“Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias ”.


3ª Promessa:“Eu os consolarei em todas as suas aflições”.


4ª Promessa:“Serei refúgio seguro na vida e principalmente na hora da morte”.

5ª Promessa:“Lançarei bênçãos abundantes sobre os seus trabalhos e empreendimentos”.

6ª Promessa:“Os pecadores encontrarão em meu Coração fonte inesgotável de misericórdias”.

7ª Promessa:“As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas pela prática dessa devoção”.

8ª Promessa:“As almas fervorosas subirão em pouco tempo a uma alta perfeição”.

9ª Promessa:“A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de meu Sagrado Coração”.

10ª Promessa:“Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais endurecidos”.

11ª Promessa:“As pessoas que propagarem esta devoção terão o seu nome inscrito para sempre no meu Coração”.

12ª Promessa:“A todos os que comunguem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, darei a graça da perseverança final e da salvação eterna”.

Fonte: www.aascj.org.br

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é a mais antiga

“O culto especial dos cristãos para com o Sagrado Coração de Jesus é de todas as devoções a mais antiga. Antes que houvesse os Santos Sacramentos e outros objetos de devoção, já a bem-aventurada Virgem Maria venerava o dulcíssimo Coração de Jesus, são José o estreitava nos braços; os pastores e os Magos, Simeão e Ana, os apóstolos e discípulos, a ele e por ele atraídos, prestavam-lhe homenagens do amor.

A devoção ao divino Coração, porém, tomou extraordinário incremento, depois que Jesus, chamando todos os homens a aprender dele, que é “manso e humilde de coração”, extraiu do tesouro do seu Coração o dom excelente da sagrada Eucaristia e quis, finalmente, que esse Coração, aberto na Cruz, a todos ficasse patente como asilo.

Esta devoção especial, já os apóstolos a espalharam no universo, os Padres da Igreja com ternura a cultivaram e zelosamente lhe teceram encómios. Enfim, os santos de todos os séculos foram discípulos fervorosos do Coração de Jesus.”

(Prefácio do livro: A Jesus os corações ou imitação do Sagrado Coração de Jesus pelo Pe. Pedro Arnoudt S.J, editora Vozes LTDA Petrópolis, ano de edição 1941)

fonte: www.aascj.org.br

FESTA DE CORPUS CRISTI

No último domingo(19) a Igreja Católica realizou a tradicional festa do Corpo de Cristo, A festa de Corpus Christi tem por objetivo celebrar solenemente o mistério da Eucaristia - o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo.
Este ano a Diocese de Nazaré antecipou a data marcada de 23 de junho, para o dia 19, motivo este no qual alega à Igreja da data ter caído no dia dos festejos juninos.

Confira as imagens dessa grande festa realizada na Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Ferreiros-PE no ultimo domingo dia 19/06, celebrada pelo pároco Francisco Valdemar:

Sacrário de Amor levando o nosso testemunho de fé ao mundo digital!.

Série Milagres Eucarísticos III - O Milagre de Lanciano

Por volta dos anos 700, na cidade italiana de Lanciano, viviam no mosteiro de São Legoziano os Monges de São Basílio, e entre eles havia um que se fazia notar mais por sua cultura mundana do que pelo conhecimento das coisas de Deus.

Ele era perseguido todos os dias pela dúvida de que a hóstia consagrada fosse o verdadeiro Corpo de Cristo e o vinho o Seu verdadeiro Sangue. Certa manhã, celebrando a Santa Missa, mais do que nunca atormentado pela sua dúvida, após proferir as palavras da Consagração, ele viu a hóstia converter-se em Carne viva e o vinho em Sangue vivo.
Sentiu-se confuso e dominado pelo temor diante de tão espantoso milagre, permanecendo longo tempo transportado a um êxtase verdadeiramente sobrenatural. Até que, em meio a transbordante alegria, o rosto banhado em lágrimas, voltou-se para as pessoas presentes e disse: Ó bem aventuradas testemunhas diante de quem, para confundir a minha incredulidade, o Santo Deus quis desvendar-se neste Santíssimo Sacramento e tornar-se visível aos vossos olhos.

Carne e sangue conservados até hoje

O Sangue está contido numa antiga ampola de cristal de rocha. Os Frades Menores Conventuais guardam o Milagre desde 1252, por determinação do Bispo de Chieti, Laudulfo, e por Bula Pontifícia de 12.05.1252. Antes disso, executavam essa tarefa os Monges Basilianos até 1176 e os Beneditinos de 1176 a 1252. Em 1258 os Franciscanos construíram o Santuário atual que em 1700 sofreu uma transformação do estilo românico gótico para o barroco. O Milagre foi colocado inicialmente em uma capela ao lado do altar principal, passando em 1636 para um altar lateral da Nave onde ainda se conserva a antiga custódia em ferro batido e placa comemorativa.
Em 1902, o Milagre foi colocado no segundo tabernáculo do altar monumental construído no centro do presbitério pela população de Lanciano.

Aos vários reconhecimentos eclesiásticos, seguem-se em 1970, 1971 e 981 os reconhecimentos científicos, executados pelo prof. Edoardo Luioli (livre docente em Anatomia e Histologia Patológica e em Química e Microscopia Clínica), coadjuvado pelo prof. Ruggero Berteli (Universidade de Siena). As análises, procedidas com absoluto rigor científico e documental de uma série de fotografias ao microscópio, deram estes resultados.

Constatação científica

A Carne é carne verdadeira. O Sangue é sangue verdadeiro.
A Carne e o Sangue pertencem a espécie humana.
A Carne pertence ao Coração em sua estrutura essencial.
Na Carne estão presentes, em secções, o miocárdio, o endocárdio, o nervo vago e, pela expressiva espessura do miocárdio, o ventrícolo cardíaco esquerdo.

A Carne e o Sangue pertencem ao mesmo grupo sanguíneo AB.
No Sangue foram encontradas as proteínas normalmente existentes e nas proporções percentuais idênticas às encontradas no sangue normal fresco.

No Sangue foram encontrados também os minerais cloro, fósforo, magnésio, potássio, sódio e cálcio.
A conservação da Carne e do Sangue miraculosos, deixados em estado natural durante doze séculos e expostos aos agentes físicos, atmosféricos e biológicos constitui um Fenômeno Extraordinário.

Concluindo, pode-se dizer que a Ciência, chamada a manifestar-se, deu uma resposta segura e definitiva a respeito da autenticidade do Milagre Eucarístico de Lanciano.
E antes mesmo de redigirem o documento sobre o resultado das pesquisas realizadas em Arezzo, os Doutores Linoli e Bertellli enviaram aos Frades um telegrama dizendo: “E o Verbo se fez Carne!”.

Jesus Cristo, o Pão da Vida

Jesus Cristo antes de sua entrega total na Cruz, para a salvação do gênero humano, quis doar-se inteiramente na ceia eucarística. Para assim, permanecer no pão que dá a vida a todos aqueles que se aproximarem Dele e desejar comer e beber do seu sangue terem a vida eterna.

Sim, Ele esta verdadeiramente na Eucaristia; é o Corpo de Cristo (Corpus Christi), vida para o mundo, atualização da Salvação. Pão que nutre o mundo e arrebata a todos da mão da morte. Queremos adorar o Senhor O Pão da vida, pois “os verdadeiros adoradores adorarão em espírito e verdade” (cf. Jo 4, 23).

Ao participarmos da ceia Eucarística, o Cristo une a nós. “A que ponto esta unidade é natural em nós, o mesmo Senhor declara: Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e eu nele (Jo 6, 56). Realmente, ninguém poderá estar em Cristo, se Cristo não estiver nele; isto é, Cristo somente assume em si a carne daquele que recebe a sua”. (Do Tratado sobre a Trindade, de Santo Hilário, bispo).
Não tenha receio de se aproximar de Cristo que se dar inteiramente a cada um de nós na Eucaristia, para a nossa purificação. Cristo quer estar todo unido a nós.

Conheça a origem da festa de Corpus Christi

Na próxima quinta-feira, 23, a Igreja celebra a festa de Corpus Christi. Solenidade que teve início no século XIII, na pequena cidade italiana de Bolsena. A celebração do Corpo de Cristo acontece na primeira quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade.

Como surgiu e como se desenvolveu, você vai saber a partir de agora em reportagens especiais sobre o tema.

Assista à reportagem



No ano de 1263 um padre da Boemia, Alemanha, que tinha dúvidas sobre a presença real de Jesus na Eucaristia, presenciou um milagre.

Durante uma viagem que fazia à Itália, celebrou a Missa no túmulo de Santa Cristina na cidade de Bolsena. No momento da consagração viu escorrer sangue da Hóstia Consagrada banhando o corporal. O sacerdote impressionado, correu até a cidade de Orvieto, onde morava o Papa Urbano IV, que enviou a Bolsena um bispo para ter a certeza do ocorrido e levar até ele o tecido ensangüentado.

Não suportando a espera, o Pontífice foi ao encontro do Bispo para ver o corporal e eles se encontraram na ponte do sol.

Em 11 de agosto de 1264, o Papa Urbano IV proclamou a bula "Transiturus", que instituía para todo o cristianismo a Festa de Corpus Christi, Algumas semanas antes de pronunciar este importante ato, no dia 19 de julho, o Papa junto com alguns cardeais e uma multidão de fiéis, fizeram uma solene procissão pelas ruas da cidade levando o corporal manchado de Sangue. Esta foi a primeira procissão de Corpus Christi.

A Festa ganhou projeção somente 50 anos mais tarde com o Decreto do Papa Clemente V, mas ainda nesta época as procissões realizadas com o Santíssimo Sacramento como fazemos hoje, não existiam, elas vieram com o tempo, e nasceram da piedade popular. Mais do que a origem histórica, a Igreja alerta para o grande significado teológico desta festa, ressaltado a partir do Concilio Vaticano II.

A festa de Corpus Christi em Ferreiros será celebrada neste domingo dia 19/06 Com a Santa Missa às 19:00 na Igreja Matriz, logo após a Missa haverá a procissão com o santíssimo sacramento pelas principais ruas da cidade. Por motivos das festas juninas deste ano, o dia de Corpus Christi é no mesmo dia da véspera de São João dia 23/06, por causa disso o nosso bispo Dom Severino mandou celebrar no domingo dia 19/06.

Série Milagres Eucarísticos II - O Milagre de Bolsena

O Milagre de Bolsena – Orvieto – Itália

Em 1263 um padre alemão, Peter de Prague, durante uma peregrinação para Roma, parou em Bolsena. Ele é descrito como um padre devoto, mas um dos que tinha dificuldades em crer que Jesus Cristo estava realmente presente na Hóstia consagrada.

Enquanto celebrava a Santa Missa sobre o túmulo de Santa Cristina, mal tinha pronunciado as palavras da consagração, quando Sangue começou a minar da Hóstia consagrada, escorrendo sobre suas mãos, sobre o altar e o corporal.

Imediatamente o padre ficou perturbado. A principio ele tentou esconder o Sangue, mas então interrompeu a missa e dirigiu-se a cidade vizinha Orvieto, onde o Papa Urbano IV residia.

O Papa escutou o relato do padre o absolveu. Ele então enviou missionários para uma investigação imediata. Quando todos os fatos foram apurados, ordenou ao Bispo da diocese que levasse para Orvieto o tecido de linho manchado de Sangue. Com os arcebispos, cardeais e outros dignitários da Igreja, o Papa foi ao encontro da procissão e em meio a grande pompa, teve as relíquias guardadas na Catedral.

O corporal de linho com as manchas de Sangue é ainda reverentemente venerado e exibido na Catedral de Orvieto. Por causa deste milagre, diz-se que o Papa foi estimulado pela Comissão Doutrinária São Tomás de Aquino a compor uma forma apropriada para celebrar a Missa e um ofício honrando a Sagrada Eucaristia como Corpo de Cristo. Um ano depois do milagre, em agosto de 1264, Papa Urbano IV instituiu a Festa de Corpus Christi.

Em agosto de 1964, nos 700 anos da Instituição da Festa de Corpus Christi, o Papa Paulo VI celebrou a Santa Missa no altar onde o Sagrado Corporal está guardado, em um relicário de ouro na Catedral de Orvieto.

Irmã Suzana do Coração Agonizante de Jesus, PJC.
Fraternitas Nazaré – Penha/SP

Série Milagres Eucarísticos I - O Milagre de Braine, França.

Com a chegada do dia de corpus christi (23/06), começamos uma série de textos sobre os diversos milagres eucarísticos que se tem conhecimento na Igreja. Convidamos a todos os internautas interessados no tema a acompanhar-nos nessa eucarística epopéia.

O Milagre de Braine, França.

No ano em que ocorreu o milagre Eucarístico de Braine, um grande número de não católicos moravam naquela cidade, localizada na Arquidiocese de Soissons. Agnes de Braine, uma condessa que vivia em um castelo na cidade, tentou converter muitos desses não católicos e escolheu uma bonita garota judia em quem concentrou todos seus esforços.

A garota constantemente se recusava a crer na Santa Eucaristia e permanecia cética apesar do fervor da condessa. Determinada a vencer a garota pela fé, a condessa foi além de suas forças para transferi-la para o castelo onde eventualmente era camareira e dama de companhia.

Em 1153 o Arcebispo de Soissens organizou uma Missa solene e a procissão em volta da cidade de Braine em observância a festa do Espírito Santo. Compareceram à cerimônia todas as pessoas de Braine, inclusive os não católicos.

Durante o Santo Sacrifício da Missa celebrada pelo Arcebispo, na hora da Elevação, os presentes viram no lugar da Hóstia, uma pequena criança. Não se sabe quanto tempo durou a visão, mas foi tão esplêndido e comovente que os não católicos, agora repletos do Espírito Santo, pediram o batismo. Especula-se que dentre estes, estava também à garota judia que a condessa havia tentado converter.

Após o milagre, a Condessa Agnes de Braine fundou um mosteiro, onde a milagrosa Hóstia permaneceu por séculos.

Irmã Suzana do Coração Agonizante de Jesus – PJC
Religiosa da Fraternida O Caminho
Fraternitas Nazaré – Penha, São Paulo, SP

A Solenidade do Pentecostes

No dia de Pentecostes o Espírito Santo desceu com poder sobre os Apóstolos; teve assim início a missão da Igreja no mundo. O próprio Jesus tinha preparado os Onze para esta missão aparecendo-lhes várias vezes depois da sua ressurreição (cf. Act 1, 3). Antes da ascensão ao Céu, ordenou que "não se afastassem de Jerusalém, mas que aguardassem que se cumprisse a promessa do Pai" (cf. Act 1, 4-5); isto é, pediu que permanecessem juntos para se prepararem para receber o dom do Espírito Santo. E eles reuniram-se em oração com Maria no Cenáculo à espera do acontecimento prometido (cf. Act 1,14).

Permanecer juntos foi a condição exigida por Jesus para receber o dom do Espírito Santo; pressuposto da sua concórdia foi uma oração prolongada. Desta forma, encontramos delineada uma formidável lição para cada comunidade cristã. Por vezes pensa-se que a eficiência missionária dependa principalmente de uma programação atenta e da sucessiva inteligente realização mediante um empenho concreto.

Sem dúvida, o Senhor pede a nossa colaboração, mas antes de qualquer resposta nossa é necessária a sua iniciativa: é o seu Espírito o verdadeiro protagonista da Igreja. As raízes do nosso ser e do nosso agir estão no silêncio sábio e providente de Deus.

As imagens que São Lucas usa para indicar o irromper do Espírito Santo o vento e o fogo recordam o Sinai, onde Deus se tinha revelado ao povo de Israel e lhe tinha concedido a sua aliança (cf. Êx 19, 3ss). A festa do Sinai, que Israel celebrava cinquenta dias depois da Páscoa, era a festa do Pacto. Falando de línguas de fogo (cf. Act 2, 3), São Lucas quer representar o Pentecostes como um novo Sinai, como a festa do novo Pacto, na qual a Aliança com Israel se alarga a todos os povos da Terra. A Igreja é católica e missionária desde a sua origem. A universalidade da salvação é significativamente evidenciada pelo elenco das numerosas etnias a que pertencem todos os que ouvem o primeiro anúncio dos Apóstolos (cf. Act 2, 9-11).

O Povo de Deus, que tinha encontrado no Sinai a sua primeira configuração, hoje é ampliado a ponto de não conhecer qualquer fronteira de raça, cultura, espaço ou tempo. Diferentemente do que tinha acontecido com a torre de Babel (cf. Jo 11, 1-9), quando os homens, intencionados a construir com as suas mãos um caminho para o céu, tinham acabado por destruir a sua própria capacidade de se compreenderem reciprocamente. No Pentecostes o Espírito, com o dom das línguas, mostra que a sua presença une e transforma a confusão em comunhão. O orgulho e o egoísmo do homem geram sempre divisões, erguem muros de indiferença, de ódio e de violência.

O Espírito Santo, ao contrário, torna os corações capazes de compreender as línguas de todos, porque restabelece a ponte da comunicação autêntica entre a Terra e o Céu. O Espírito Santo é Amor.

Mas como entrar no mistério do Espírito Santo, como compreender o segredo do Amor? A página evangélica conduz-nos hoje ao Cenáculo onde, tendo terminado a última Ceia, um sentido de desorientação entristece os Apóstolos. A razão é que as palavras de Jesus suscitam interrogativos preocupantes: Ele fala do ódio do mundo para com Ele e para com os seus, fala de uma sua misteriosa partida e há muitas outras coisas ainda para dizer, mas no momento os Apóstolos não são capazes de carrregar o seu peso (cf. Jo 16, 12). Para os confortar explica o significado do seu afastamento: irá mas voltará; entretanto não os abandonará, não os deixará órfãos.

Enviará o Consolador, o Espírito do Pai, e será o Espírito que dará a conhecer que a obra de Cristo é obra de amor: amor d'Ele que se ofereceu, amor do Pai que o concedeu.

É este o mistério do Pentecostes: o Espírito Santo ilumina o espírito humano e, revelando Cristo crucificado e ressuscitado, indica o caminho para se tornar mais semelhantes a Ele, isto é, ser "expressão e instrumento do amor que d'Ele promana" (Deus caritas est 33).

Reunida com Maria, como na sua origem, a Igreja hoje reza: "Veni Sancte Spiritus! Vem, Espírito Santo, enche os corações dos teus fiéis e acende neles o fogo do teu amor!".

Amém.

A celebração do Pentecostes na Paróquia de N. Sra. da Conceição de Ferreiros será comemorada com a Missa solene na Igreja Matriz as 19h. Na ocasião também serão homenageados os namorados.

Sacrário de Amor levando o nosso testemunho de fé ao mundo digital!!!

A vinda do Espírito Santo

Nesta semana estaremos trazendo um pouco mais sobre a Pessoa do Espírito Santo, para crescermos na fé. E nosso convite é para que ao ler este post você já vá clamando: “Vem Espírito Santo, vem como em Pentecostes, revela Cristo Jesus ao meu coração e faz de mim uma criatura nova. Eu quero esta vida nova! Vem Espírito Santo!!!!”

“Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo, que se repartiram e repousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” At 2,1-4

CIC 684. O Espírito Santo, pela sua graça, é o primeiro no despertar da nossa fé e na vida nova que consiste em conhecer o Pai e Aquele que Ele enviou, Jesus Cristo (2)

CIC 689. Quando o Pai envia o seu Verbo, envia sempre o seu Espírito: missão conjunta na qual o Filho e o Espírito Santo são distintos mas inseparáveis. Sem dúvida, é Cristo quem aparece, Ele que é a Imagem visível de Deus invisível; mas é o Espírito Santo quem O revela.

Só podemos amar de fato aquilo que conhecemos. Juntos trilhamos este caminho de conhecimento da nossa Santa Mãe Igreja e suas riquezas. Vem Espírito Santo!

O que é um amor de verdade?

Não existe nada mais importante que a família. Quando Deus quis que a humanidade existisse, Ele fez um projeto: " Eu quero que o homem e a mulher exista." Deus os fez com suas diferenças, mas com a mesma natureza, com a mesma beleza e disse: "Crescei e multiplicai."

Deus diz para o casal: Vocês serão uma só carne. Quem não entender isso não entendeu o desígnio de Deus no casamento. Que não exista mentira, infidelidade no casamento. Se for assim não podemos chamar de casamento. Casamento é unidade, é transparência, mas tudo isso começa no namoro.

Chegamos a uma conclusão, o casamento é sagrado. Foi Deus quem fez o casamento. Essas realidades são sagradas.

Começamos a construir uma casa pelo alicerce, primeiro se lançam as bases, aí está o namoro. Muito telhado desaba porque as colunas e os alicerces não foram solidificadas.

Deus usou como modelo para criar o homem e a mulher, Ele mesmo. Somos belos e importantes. Olhe para a Cruz de Cristo que você vai ver o valor que você tem.

Ou entendemos o que é o amor de Deus ou não seremos felizes. O amor de Deus nos conduz a doação a fazer o outro feliz. Hoje há uma inversão de valores, as pessoas estão chamando o egoísmo de amor.

O que fazemos com a laranja? cortamos, retiramos tudo o que ela tem, destruímos a laranja para nos satisfazer. Vocês estão vendo como a concepção da palavra amor está invertida?Está destruída? Usamos de forma egoísta as pessoas.

Temos que aprender o que é o amor de Deus. Amar não é desfrutar do outro. Amar é estar disposto a ir a cruz por causa do outro.

O casamento não é um mar de rosas , é uma missão. Amar é fazer sacrifício pelo outro. É preciso treinar a fidelidade. Porque você não vai viver um mar de rosas no casamento. Muitos casais vivem meses, anos sem relação sexual, até por causa de uma enfermidade. Como você vai viver se não treinou no namoro? Treine, tendo como plano de fundo o amor de Deus.

O que é a castidade? Não viver o sexo fora fora do casamento, toda vez que alguém vive o sexo fora antes do casamento está vivendo fora do plano de Deus. Essas realidades não podem fazer você feliz. O sexo é para gerar vida, o sexo é para unir. Unitivo e procriativo.

[Trecho da palestra de Prof Felipe Aquino - Acampamento para namorados na Canção Nova, Junho 2011, em Cachoeira Paulista]

Prof. Felipe Aquino

Sinta-se amado por Deus

Infinitamente sábio e amoroso, Deus não permitiria que você vivesse atormentado pelos problemas se não o visse com condições para resolvê-los.

Não considere pois, os problemas demasiados e a carga exagerada.Lute com confiança.
Em você, estão colocadas por Deus todas as condições de que precisa para sair vitorioso. Tenha fé e firmeza.

A sua vida prática exige confiança na sabedoria e no amor divinos. Não diga a Deus que você tem um grande problema. Diga ao seu problema que você tem um grande Deus!

Quem tem Deus chega a ver um anjo em cada pessoa e se interessa por ela; enxerga na dificuldade um ensinamento, uma chance. Se cai, levanta-se, encara o dia de frente, vê no mundo uma escola; acredita nos valores do espírito, na paz, na felicidade.

Tenha Deus com você, mesmo que tudo se afigure difícil, duro, imodificável. Ponha o coração nas mãos Dele.

Os problemas somem quando a fé chega.

Os problemas não existem para Deus nem para quem está com Ele.

Seja Feliz! Você merece!

Igreja celebra o Dia Mundial das Comunicações

A Igreja celebra neste domingo, 5, o Dia Mundial das Comunicações (DMC). Criado a partir de uma determinação do Decreto Inter Mirifica, documento do Concílio Vaticano II, o 1º DMC foi celebrado em 1967. “Com esta iniciativa, proposta pelo Concílio Vaticano II, a Igreja, que "se sente intimamente solidária com o gênero humano e com a sua história", quer chamar a atenção dos seus filhos e de todos os homens de boa vontade para o vasto e complexo fenômeno dos modernos meios de comunicação social, como a imprensa, o cinema, o rádio e a televisão, que são uma das notas mais características da civilização moderna”, disse o papa Paulo VI na primeira mensagem sobre o DMC.

O Vaticano II, no parágrafo 18 do Inter Mirifica, deixa claros os objetivos do DMC. “Para que se revigore o apostolado da Igreja em relação com os meios de comunicação social, deve celebrar-se em cada ano em todas as dioceses do mundo, a juízo do Bispo, um dia em que os fiéis sejam doutrinados a respeito das suas obrigações nesta matéria, convidados a orar por esta causa e a dar uma esmola para este fim, a qual ser destinada a sustentar e a fomentar, segundo as necessidades do orbe católico, as instituições e as iniciativas promovidas pela Igreja nesta matéria”.

O tema do DMC deste ano, definido pelo papa Bento XVI, é “Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital”. Em todo o país, as dioceses realizam várias atividades para lembrar a data. O Setor de Comunicação Social da CNBB produziu um subsídio que traz sugestão de celebração para comemorar o DMC.

fonte: CNBB

Junho: Mês do Sagrado Coração de Jesus e da festa de Corpus Christi

O mês de junho é dedicado ao Coração de Jesus e do grande sacramento da EUCARISTIA, centro da história de todos aqueles que por Ele entregam sua vida, nele aportam seu destino e esperança. É, portanto, também o mês de tantos santos muito conhecidos e amados do povo de Deus. Como por exemplo: Santo Antonio, São João Batista, São Pedro e São Paulo.

Nesse mês acontece também a Solenidade de Corpus Christi, expressão latina que significa Corpo de Cristo. É uma festa móvel da nossa querida, amada e santa Igreja Católica que celebra a presença real e substancial de Cristo na Santíssima Eucaristia.
É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de ‘preceito’, isto é, para nós católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do Brasil – CNBB.

A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, “para testemunhar publicamente a veneração para com a Santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo.”

A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo então Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de 11 de agosto de 1264.

Em 1247, aconteceu a 1ª procissão eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica.

A festa mundial de Corpus Christi foi decretada em 1264. O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350.

Hoje esta no mundo toda a celebração de testemunho da nossa fé de Adoração ao Senhor que se doa no Pão da Eucaristia. Eis o Pão Vivo descido do Céu! Viva Jesus nosso Rei e Senhor na Santíssima Eucaristia!

Como dizia o nosso Papa aos congressista do Congresso Internacional em Quebec – TEMOS QUE SER EUCARISTIA PARA O MUNDO.

Sejamos todos EUCARISTIA para o mundo. Transformemos o mundo em um campo de PAZ e HARMONIA.

fonte:http://blog.cancaonova.com/natal/