O inimigo de Deus quer esvaziar o valor da Santa Missa

A cada Celebração Eucarística, Cristo Jesus é o celebrante: é Ele quem se oferece ao Pai, quem ora e quem intercede. O sacerdote é o representante do Senhor, cabendo a nós a participação como parte do Corpo de Cristo.

A Santa Missa não nos pode servir apenas para pedirmos pelas almas dos nossos falecidos. Apesar do seu grande valor para a purificação das almas dos nossos entes queridos que ainda estão no purgatório, precisamos estar cientes de que isso é o mínimo diante do valor profundo dessa celebração. As necessidades do mundo inteiro estão presentes em cada celebração da Santa Missa. Cristo as assume.

A Missa não pode se transformar num palanque de comício social ou político. Ela tem a capacidade de mudar as estruturas sociais, mas não é fazendo do altar um palanque que isso acontecerá. Esse não é o caminho. A Missa precisa ser Missa para que as estruturas sociais sejam transformadas.

O inimigo de Deus quer denegrir, desmoralizar e esvaziar o valor do sacrifício da Missa.

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova


(Trecho do livro "Eucaristia, nosso tesouro" de monsenhor Jonas Abib)

Um comentário:

carlinhos disse...

gostei da mensagem do valor da santa missa. presizamos mesmo esta temtro da liturgia, somente assim a vida ficar muito mas feliz.