MISSA PELOS 18 ANOS DE VIDA SACERDOTAL DO Pe. VALDEMAR












Homilia pelos meus 18 anos de sacerdócio

É belo ser Sacerdote? – É tão belo, mas tão belo, que São João Maria Vianney, padroeiro universal dos Sacerdotes, escreveu:  “Se o Sacerdote descobrisse a beleza e a grandeza do que ele é, não iria conseguir sobreviver”. E dizia ainda: “ O Sacerdote é o amor do Coração de Jesus. Quando virdes o Padre, pensai em Nosso Senhor Jesus Cristo.” E como nós não descobrimos ainda, somos mais de 415 mil Sacerdotes no mundo, mais de 22 mil no Brasil, que continuamos a chamar, por ordem do Senhor, mais operários para a messe!
A beleza e a realidade de sermos outros Cristos no meio do mundo, fazendo o mesmo que Ele fazia e faz, nos impulsiona e nos motiva a viver cada dia o mesmo e único Sacerdócio de Jesus.
Quando, na hora da consagração, na Missa, torno presente as palavras de Jesus, tremo em pensar ao dizer: “ Isto é o meu Corpo. Isto é o meu Sangue”. Ele se faz um comigo e eu me faço um com Ele! Não por meus méritos e nem pelo mérito de todos os sacerdotes do mundo, mas por vontade exclusiva e salvífica DELE.
A beleza consiste na grandeza do Deus Amoroso que escolhe homens, frágeis, pecadores, para continuar a presença de Seu Filho no mundo. Poderia ter escolhido anjos, que não pecaram e não pecam, mas estes não saberiam entender a miséria humana. Escolhe homens, frágeis, repito, para entender e perdoar, em nome do Amor Misericordioso, todos os que o buscam.
Quando vejo o povo, principalmente os mais idosos e doentes, beijar as mãos do padre, com emoção eu penso: “ pode ser que sejam as únicas mãos que eles podem ainda beijar”. E beijam não as mãos de um homem, mas as mãos do homem que se faz Jesus para eles.
Vale à pena continuar? – Claro que sim! Sempre! – Outros Cristos na terra.

Continuemos a rezar por todos os nossos Sacerdotes, principalmente por aqueles que são mais frágeis, vasos de barro quase se quebrando ou já quebrados, para que a Divina Misericórdia os auxilie e sejam realmente aquilo para o qual foram chamados: “ Sacerdotes para sempre!”
Pe. Francisco Valdemar Coelho Domingos
Pároco
 Ferreiros, 19 de outubro de 2014.

FESTA DE SÃO FRANCISCO



Santos Anjos da Guarda

Neste dia em que fazemos memória do nosso protetor, a Igreja termina assim o hino e oração da manhã: “Salvai por vosso filho a nós, no amor; ungidos sejamos pelos anjos; por Deus trino, protegidos!”
A palavra anjo significa, “enviado, mensageiro divino”, muitas vezes encontramos as manifestações dos anjos como missionários de Deus, e por isso, com clareza lemos no salmo 91: “Pois Ele encarregará seus anjos de guardar-te em todos os teus caminhos”.
Quando nos deparamos com a Anunciação e outros Mistérios da vida de Jesus, conseguimos perceber que este salmo profetiza a presença dos anjos na vida do Senhor. Ora, Cristo é o primogênito de todas as criaturas, nosso irmão e modelo. Se portanto sua humanidade, apesar de unida com a Divindade, era continuamente protegida por anjos, logo quanto mais devemos ser nós, seus membros tão frágeis. Tanto o Pai quer isto que revelou a Jesus: “Guardai-vos de desprezar algum desses pequeninos, pois eu vos digo, nos céus os seus anjos se mantêm sem cessar na presença do meu Pai que está nos céus.” (Mt 18,10)
Nos Atos dos Apóstolos e nos escritos de São Bernardo, Santo Tomás de Aquino e outros Doutores da Igreja, encontramos testemunhos que nos motivam a confiarmos nos Santos Anjos protetores de cada um, pois atesta a Sagrada Escritura: “Não são todos (os anjos) eles espíritos cumpridores de funções e enviados a serviço, em proveito daqueles que devem receber a salvação como herança?” (Hb 1,14)
Na Inglaterra desde o ano 800 acontecia uma festa dedicada aos Anjos da Guarda e a partir do ano 1111 surgiu uma linda oração (apresentada a seguir). Da Inglaterra esta festa se estendeu de maneira universal depois do ano 1608 por iniciativa do Sumo Pontífice da época. Aprendamos e rezemos esta quase milenar prece: “Anjo do Senhor – que por ordem da piedosa providência Divina, sois meu guardião – guardai-me neste dia (tarde ou noite); iluminai meu entendimento; dirigi meus afetos; governai meus sentimentos para que eu jamais ofenda ao Deus e Senhor. Amém.”
Santos Anjos da Guarda, rogai por nós!