Nossa Mãe



Sermão sobre o Missus est

“Ó tu, quem quer que sejas, que nas correntezas deste mundo te apercebas: antes ser arrastado entre procelas e tempestades do que andando sobre a terra, desviares os olhos desta Estrela, se não queres afogar-te nessas águas.
Se se levantam os ventos das tentações, se cais nos escolhos dos grandes sofrimentos, olha para a Estrela, invoca Maria.
Se as iras, ou avareza, ou os prazeres carnais se abaterem sobre a tua barca, olha para Maria.
Se, perturbado pelas barbaridades dos teus crimes, se amedrontado pelo horror do julgamento, começas a ser sorvido em abismos de tristeza e desespero, pensa em Maria.
Nos perigos, nas angústias, nas dúvidas, pensa em Maria, invoca Maria. Que ela não se afaste dos teus lábios, não se afaste de teu coração.
E, para que possas pedir o auxílio de sua oração, não esqueças o exemplo de sua vida. Seguindo-a, não te desviarás; pensando nela, não errarás. Se ela te segurar, não cairás; se te proteger, não terás medo; se ela te conduzir, não te fatigarás; se estiver ao teu lado, chegarás ao fim. E assim experimentarás em ti mesmo o quanto é verdade aquilo que foi dito: ‘E o nome da Virgem era Maria’”.
São Bernardo de Claraval, Abade e Doutor da Igreja.

Do livro: A Mulher do Apocalipse. Felipe Aquino. SP.Ed Cleofas e Loyola. 6º Edição


Nenhum comentário: